27/01/2022 às 15h37min - Atualizada em 27/01/2022 às 15h37min

Quebec, Canadá

Agosto 2016

Ralf Matavelli - Arquiteto e Urbanista
ralfmatavelli@hotmail.com
O arquiteto em frente ao hotel Le Château Frontenac
 m
   O que dizer desta encantadora cidade, onde o centro antigo conhecido como “Old Quebec” parece fazer parte de um conto de fadas? Talvez, por ser a cidade mais antiga do Canadá, a atmosfera de outros tempos ainda permaneça, de certa maneira, inalterada.
   Localizada às margens do rio São Lourenço, a cidade foi fundada em 1608 pelo francês Samuel de Champlain e, em pouco tempo, se transformou no centro político e cultural da então chamada Nova França. Ao longo dos séculos, várias batalhas entre franceses e ingleses foram traçadas, na tentativa do domínio do território. Após a independência do país, em 1867, a cidade de Quebec se tornou a capital da província. Estes embates entre franceses e ingleses deram origem a uma cidade singular - apesar de o idioma oficial ser o francês, pode-se dizer que a cidade é bilíngue, dado ao uso cotidiano também do inglês. Alguns a chamam de “Quebec City” e outros “Ville de Quebec”.
   A “Old Quebec” é dividida em duas partes, a alta e a baixa. A área que compreende o interior fortificado da cidade é a chamada parte alta. É Site histórico da Unesco desde 1985, sendo incrivelmente bem preservado, e possui edifícios exemplares de várias épocas, com destaque para o Seminário de Quebec, a Prefeitura, o hotel Clarendon e o cartão postal da cidade, o incrível hotel Fairmont Le Château Frontenac. Inspirado nos castelos franceses, o arquiteto de NY, Bruce Price, projetou este castelo em 1892. Já em 1893 este suntuoso hotel abriria suas portas e se tornaria uma lenda. Hoje é considerado o hotel mais fotografado do mundo! Com interiores ricamente decorados, é ponto de encontro de turistas descolados e palco para eventos sociais da cidade. Entre as surpresas do hotel, seus estrelados restaurantes, com vistas incríveis do rio, o chiquérrimo Champlain e Le Sam bistrô estão entre as melhores opções da cidade. Mas nada é mais “cool” do que tomar um dos maravilhosos drinks do 1608- Wine & Cheese, bar do hotel, vendo o pôr do sol no rio São Lourenço.
   A Citadella é um Site histórico, estrategicamente locado em um terreno alto no leito do rio São Lourenço. Sua muralha de mais de 300 anos em forma de “estrela” é exemplo arquitetônico de fortificação e dela se tem vistas espetaculares do rio e da cidade.
   Para chegar na parte baixa, a mais antiga, pode-se descer de escada ou funicular, este altamente recomendado para a subida. Os casarios com produtos regionais e bistrôs charmosos se espalham pela charmosa Rue du petit-champlian.
   Fora da “Old Quebec” a cidade é contemporânea e extremamente bem cuidada. Assim como na parte antiga, a fiação é toda subterrânea. Ciclovias, parques e praças para todos os lados. Uma cidade urbanisticamente pensada, que valoriza seu Patrimônio Natural e Arquitetônico, potencializado principalmente para o turismo.
   Um grande parque à beira do rio dá à cidade um ar ainda mais agradável. É no Parc des Champs de Bataille - Plaines d´Abrahan que se localiza também o Museu Nacional de Belas Artes, um dos mais importantes do país. Perto dali, na Grande Allé, estão os bares e restaurantes frequentados pelos moradoras da cidade. A noite é agitada, com música de boa qualidade em quase todos os estabelecimentos. O resto/lounge Savini ficará na memória por sua deliciosa salada de pato.
  
   Quebec é uma boa surpresa porque supera todas as expectativas. Um desses lugares que já sentimos saudades antes de partir. O Canadá, exuberante das montanhas e belas paisagens, começa lá. Ótima oportunidade para um dia, quem sabe, voltar e daí conhecer um pouco mais deste incrível país.




*O Brand-News não se responsabiliza por artigos assinados por nossos colaboradores.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp