06/01/2022 às 15h47min - Atualizada em 06/01/2022 às 15h47min

Itália - Toscana e Siena

Fevereiro 2017

O arquiteto em Siena. Ao fundo, a bela Torre del Mangia, na Piazza del Campo
,
Partir de Roma em direção à Toscana, pela Via Cássia, antigo e importante caminho romano, foi alternativa atual para fugir das movimentadas autoestradas e rendeu ótimas surpresas. Ainda na região de Viterbo, a antichissima Città di Sutri impressiona pela rica história e monumentos arqueológicos.
As discretas catacumbas escavadas na rocha em diversos formatos e frontões são testemunhos raros da arquitetura funerária da época romana. Raro também são as ruínas do anfiteatro romano construído entre o 1º século a.C. e 1º século d.C. Mas nada se compara à pequena “Chiesa della Madonna del Parto”, totalmente esculpida na rocha e datada do séc. 3º d.C. Uma raridade “arquitetônica” que já prenunciava, em pequena escala, o formato das futuras e imponentes catedrais cristãs. Perto dali, já beirando a Toscana ao lado do lago de Bolsena, a pequena e medieval Montefi ascone, totalmente fora do circuito turístico tradicional, serve de repouso para o corpo e a mente. À noite a cidade fica totalmente vazia e perambular pelas ruas faz voltar no tempo.
 
Já na Toscana, com sua paisagem única, árida e os ciprestes italianos delineando as entradas dos vinhedos espalhados nos morros e colinas, a Fortezza di Radicofani chama a atenção pela localização estratégica no alto da montanha, de onde tem-se visão panorâmica de boa parte desta região da Toscana. Radicofani é patrimônio da Unesco desde 2004.
Ainda antes de chegar a Siena, uma parada em Montalcino para uma degustação inesquecível de alguns dos melhores vinhos produzidos nesta região.
 
MÁGICA E ENCANTADA - Siena era grande rival artística de Florença no período medieval. Devastada pela peste negra em 1338, nunca mais recuperou seu esplendor, porém e talvez devido a isto, manteve-se urbanisticamente como uma joia medieval quase intacta. O formato da cidade atual permanece ainda muito similar à cidade medieval dos séculos XIII e XIV.
O Centro Histórico de Siena é Patrimônio Mundial da Unesco. A praça Del Campo domina a paisagem do centro histórico com a famosa Torre del Mangia no Palazzo Comunale, com 102 m de altura.
O “Duomo” de Siena, construído entre 1215 e 1263, é um dos mais belos exemplos de catedral gótica e certamente uma das mais bonitas igrejas do mundo. O piso em “opus sectile”, técnica onde peças de pedras, mármores coloridos são arranjadas em painéis formando imagens, é uma obra-prima realizada por vários artistas em diferentes períodos da história desta icônica catedral.
Impossível não perder um bom tempo ali escutando a história das obras de arte da igreja ou de cada painel nos iPad´s disponíveis para, “in loco”, ter uma experiência “virtual”.
Ainda imperdíveis em Siena são a Catedral de São Domingos, o Museu do Duomo e a “Fortalezza Medicea”.
 
O ótimo hotel NH Siena é altamente recomendado, bem localizado, na região central e distante o suficiente da sempre lotada Piazza del Campo. Dois bons restaurantes para se voltar são a Osteria Le Logge e o Ristorante II Biondo.
Mas a melhor experiência gastronômica de Siena foi o excelente e inusitado Pizzicheria de Miccoli. A variedade de frios, embutidos e queijos irresistíveis pendurados por todo o teto dão caráter singular a este pequeno estabelecimento que tem ares medievais e vive sempre lotado. Fotos são proibidas, mas a simpatia é farta.
 
A noite cai e a lua cheia rouba a cena na Piazza del Campo. Todos procuram a melhor foto, a melhor selfie. Siena adormece, mágica e encantada sobre a luz da lua, assim como raramente em outro lugar do mundo, desde o século XIII.
 
 

 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp