23/11/2022 às 16h23min - Atualizada em 23/11/2022 às 16h23min

Nosso hotel em Doha: “um oásis no deserto”

Parte 2

Por Marcelo Vasconcellos Camillo
Fotos: Reprodução Google
Vista da Mesquita Nacional do Qatar, em Doha
C 
Em Doha, capital do Qatar, sede da Copa do Mundo Fifa 2022, há uma considerável opção de hotéis, resorts e hostels espalhados pelas principais áreas da cidade, e até tendas no deserto para os fãs do futebol.
Vários hotéis de grandes redes mundiais famosas, de 5 e 6 estrelas, estão ali. Mas decidi que ficaríamos no Souq Waqif Boutique Hotels Souq Waqif, na área central, que me pareceu a melhor região para hospedagem. É por ali, no Souq Waqif, que se encontram as principais atrações turísticas e uma estação de metrô.
 
O Souq Waqif, antigo mercado ao ar livre, está situado no centro histórico e é o grande coração cultural e social do Qatar. O bairro é central, ali tudo vai acontecer; será o local de maior concentração de povos do mundo todo durante o mundial. Penso que todos os turistas que estiverem em hotéis espalhados pela cidade, logo após o café da manhã irão se dirigir para aquele ponto central da cidade, e lá permanecerão.
 
Souqs são mercados tradicionais encontrados na maioria das cidades árabes, e nos países da região do Golfo Pérsico. Uma curiosidade é que até os anos 70, as águas do Golfo Pérsico chegavam até o Souq de Doha. E como o mercado costumava ser inundado com o vaivém da maré, os comerciantes trabalhavam em pé, em barracas improvisadas. Daí o nome Souq Waqif, onde “waqif” significa “em pé”, em árabe.
 

 
O nome Souq Waqif Boutique Hotels by Tivoli - mais precisamente o Al Bidda Boutique Hotel, já que além deste, mais sete hotéis fazem parte do grupo, quase colados uns aos outros, tudo preservado historicamente - a princípio soa como um “oásis no deserto”, mas é bem tradicional, bem a “cara de árabe”, acho que no máximo dois ou três andares.
E era isto que eu estava procurando para compartilhar com meus amigos de viagem, já acostumados a se hospedarem em luxuosos cinco estrelas. Queria viver esta experiência de me hospedar em um típico hotel árabe, acho que não faria sentido em outro hotel estando no Oriente Médio.
 
Ali é perto de tudo: Mia Park, a Av. Corniche (colada no mar do golfo), Museu de Arte Islâmica, Museu Nacional do Qatar, Al Bidda Parque (onde estará o “Fifa-Fan Fest”, com telões passando os jogos, entretenimento e praça de alimentação para os fãs do futebol credenciados), dentre outros, além do metrô, direcionando para os oito estádios, e aeroporto bem próximo.
 
Quero só ver como vai caber tanta gente ali no centro - perto de um milhão e duzentos mil torcedores estrangeiros são esperados no Qatar, sendo aproximadamente 20 mil brasileiros. Recentemente, o ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter, declarou que a escolha do Qatar como país-sede da Copa do Mundo de 2022 foi um erro. É um país pequeno demais. O futebol e o Mundial são grandes demais para isso. Para mim é claro: o Qatar foi um erro. Foi uma escolha ruim”, disse.
E vamos pagar para ver, espero que ele esteja errado, que esta Copa do Mundo seja um sucesso! Afinal, o que quero ver e fazer, eu até já sei, porém conto assim que voltar de lá, em detalhes.
 
E para que meus amigos possam acompanhar nossa viagem, estarei mostrando nos stories do Instagram, com fotos e vídeos ao vivo. Quem quiser conferir, me siga em https://www.instagram.com/lojadaborracha/#
 
EM TEMPO: amanhã vou falar um pouco sobre os estádios da Copa, mais precisamente sobre 4 deles. E na sexta, encerro essa série contando um pouco sobre os outros 4 estádios que vão sediar as competições.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.