21/12/2022 às 16h31min - Atualizada em 21/12/2022 às 16h31min

Copa do Mundo Fifa 2022: último dia de jogos, muita emoção!

Sexto dia - 02 de dezembro

Texto e Fotos: Marcelo Vasconcellos Camillo
c
World Cup Qatar - Last Day
Neste sexto dia no Qatar, 02 de dezembro, mais dois jogos estavam na nossa programação oficial: o primeiro, às 18h, no estádio Education City, para vermos Coreia do Sul X Portugal de Cristiano Ronaldo, e depois o nosso último jogo, às 22h, no palco da grande final da Copa do Mundo, no Lusail Stadium, onde finalmente veríamos Brasil X Camarões. Seriam dois jogaços também.
Sem café da manhã e com pressa, fizemos aquele mesmo caminho curto, do Souq Waqif, passando por Mscheireb Downtown. Chegamos ao metrô e seguimos sentido norte. Descemos na estação Legtaifiya, uma após Katara e duas antes de Lusail, o fim da linha.
 
A Pérola do Golfo Pérsico
Nosso primeiro objetivo era visitar The Pearl. “A Pérola” é praticamente uma minicidade, seu formato remete a colares de pérolas. Região do Qatar dos mais belos prédios residenciais, dos restaurantes de luxo, shopping, grandes lojas, modernas e largas avenidas, e das melhores marinas para os sheiks estacionarem seus gigantes iates. É ali neste bairro, sem dúvida, que moram os mais ricos deste pequeno país. No www.instagram.com/thepearlqatar dá para se ter uma ideia da dimensão desse lugar.
 
 
De Uber fomos ao Qanat Quartier Canal. É um bairro inspirado em Veneza. Barcos circulam pelo canal, levando turistas. E é neste local que todas a noites, durante a Copa do Mundo, uma espécie de “carnaval” é realizado ali. Várias embarcações desfilam, num show de som e luzes. Os prédios são todos pintados, bem coloridos, tudo muito limpo.
 
Têm atrações por todo o bairro. Porém, nesta sexta-feira, dia sagrado para os muçulmanos, dedicado à oração no Islamismo, encontramos o local deserto, nada funcionou naquela manhã. Nem para o café, nem para passeios nas famosas gôndolas.
 
Procuramos um local para tomar uma cerveja e achamos: logo ali ao lado, quis o destino encontrarmos o Hilton Doha The Pearl Hotel. Já era quase meio dia, e para nós um sol de 50 graus, quando adentramos ao gigante pub do hotel. Ficamos ali por três longas horas. Perdemos a noção do tempo...


 
O robozão
Foi então que pegamos um taxi e chegamos no Souq Waqif. Em Mscheireb, a caminho do metrô, reconheci um repórter da Radio Itatiaia que estava fazendo uma “live” com o comentarista esportivo Alex Oliveira, no Brasil, e fui cumprimentá-lo, pois já o tinha visto no YouTube dando dicas sobre o Qatar. De fato eu não sabia que ele estava ao vivo e comecei a conversar. Rodrigo e eu acabamos por “entrar na live”, e esta entrevista, de pouco mais de seis minutos, viralizou na internet!
 

O belo estádio Education City, com a sua fachada que remete aos diamantes, totalmente iluminada, é sem dúvida muito bonito.
Sentados “quase dentro do campo”, vimos juntos com 44 mil torcedores a Coreia do Sul vencer Portugal, de virada, por 2 X 1. Para o desespero do craque Cristiano Ronaldo (robozão). A gritaria dos coreanos foi sensacional, eles estavam eufóricos demais.
Porém, os coreanos não tiveram muito tempo para comemorar, na fase seguinte pegaram o nosso Brasil nas oitavas de final e foram eliminados da competição. Faltavam 10 minutos para o fim do jogo quando deixamos estádio para irmos ao jogo do Brasil.
 
Brasil, meu Brasil Brasileiro
Dali fomos “voando” de táxi para o Lusail Stadium, percurso percorrido em pouco mais de meia hora. Não poderíamos correr o risco de perder o Hino do Brasil, fazendo este trajeto de metrô. Ao descermos do táxi, cada um colocou as novas camisas da seleção brasileira, presenteadas pelo Rodrigo, colocamos a “gahfiya” (aquela touca furadinha branca na cabeça) e os árabes ajeitaram com todo carinho a “ghutra” (aquele lenço branco usado na cabeça) e a corda preta. Ficou sensacional, várias fotos foram tiradas conosco.
 

Lusail Stadium
Inaugurado em setembro de 2022, o Lusail Stadium é o maior de todo o mundo árabe. O design reflete as tigelas artesanais encontradas em todo o mundo árabe e islâmico, enquanto as interações de luz refletem as lanternas fanar da região.
Não consegui ainda saber se é mais bonito de longe ou de pertinho. É uma espécie de tigela de ouro furada, com diamantes na parte de cima. Nos corredores internos também os mesmos desenhos no teto. Indescritível sua beleza. Os camarotes, ficamos só na imaginação.
 

Brasil X Camarões
Quis o destino que o nosso décimo e último jogo da Copa do Mundo, pela primeira vez no Oriente Médio, fosse visto por nós três, ao vivo, justamente pela seleção do Brasil versus a de Camarões. Assim, fechamos com “chave de ouro” a nossa temporada no Qatar.
 
Sentados na sexta fileira, quase na bandeira de escanteio, tivemos uma visão sensacional de todo o estádio e do jogo. Aliás, tivemos muita sorte nos locais em que ficamos nos estádios, todos com uma excelente visão do jogo.
Estávamos bem ao lado da torcida organizada do Brasil, o Movimento Verde e Amarelo. Os lances eram muito próximos de nós.
 
A emoção de cantar o nosso hino dentro deste estádio foi de arrepiar. 85.986 torcedores viram Camarões vencer por 1X0 o time reserva do Brasil. Resultado que pouco me importou.
Lógico que queria uma vitória, um gol pelo menos, mas se vimos o Brasil perder, todo mundo também viu, a diferença é que na nossa cabeça nunca mais esqueceremos aquele momento ali ao vivo.
Após o jogo, fiz um vídeo em agradecimento às nossas esposas e a todos os seguidores que acompanharam a nossa viagem no Qatar, que curtiram e que comentaram nas publicações. A alegria e satisfação de estar ali depois do jogo estava estampada em nossos rostos.
 
Novamente aquele tumulto para pegar o metro de volta, que foi vencido sem problema. Também faz parte do show. Chegamos no Souq Waqif, sempre lotado, hotel e cama, ainda tínhamos o sábado para curtir Doha.
 
Este foi o nosso sexto dia, continua amanhã, no último episódio, até lá...

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.