20/12/2022 às 15h45min - Atualizada em 20/12/2022 às 15h45min

Copa do Mundo Fifa 2022: um pouco sobre Educação, revanche e curiosidades

Quinto dia - 1º dezembro

Por Marcelo Vasconcellos Camillo
c
Neste quinto dia (1º de dezembro) no Qatar, mais dois jogos estavam na nossa programação oficial: o primeiro às 18h, no estádio Ahmad Bin Ali, para vermos Croácia X Bélgica, e depois às 22h, novamente no Khalifa Stadium, para vermos Japão X Espanha. Seriam dois jogaços.
 
Com o nosso hotel “dentro” do Souq Waqif, todos os dias caminhávamos pelas suas coloridas ruelas, uma diversidade infinita de produtos e de pessoas do mundo todo (sobre o Souq Waqif, vou escrever um artigo exclusivo para ele).
Em Msheireb Downtown, além do Hyatt Hotel, tomávamos nosso café no Al Wadi Hotel, carinhosamente chamado por nós de “Al Waldir Hotel” rsrsrsrs.
 

Após o farto café da manhã no “Wardi”, pegamos o moderno metrô e fomos em direção à Cidade da Educação, bairro onde tem o estádio com o mesmo nome, Education City, além de diversas universidades, a Biblioteca Nacional do Qatar, institutos de pesquisa e ciências, hospitais, etc.
Nesta região se encontra o maior centro de aprendizado para estudantes e acadêmicos em todo o mundo árabe. E era o Sidra Hospital (foto) que iríamos visitar. Não o hospital em si, que é um centro médico e de pesquisa dedicado ao cuidado de mulheres e crianças, gigante e moderníssimo. E sim, bem em frente, um conjunto de 14 imensas esculturas de bronze denominado “A Jornada Milagrosa”, que conta a história da vida, da fecundação do espermatozoide no óvulo às divisões das células, até o nascimento do bebê.
Simplesmente espetacular. Estas obras causaram polêmica no mundo árabe e chegaram a ficar encobertas por 5 anos. Uma pena não haver espaço aqui para mostrar aos amigos leitores estas 14 obras incríveis. Eu as tenho guardadas em meu celular!
Mas deixo aqui um link para quem quiser ver todas as obras. Em uma outra oportunidade claro, não fuja do meu texto!
https://www.alamy.es/nuevas-esculturas-mostrando-las-fases-del-parto-en-el-utero-a-sidra-hospital-por-damien-hirst-en-doha-qatar-image230407555.html
 
Um pouco de carne e sal
Uma breve caminhada até a Biblioteca Nacional do Qatar, que iriamos visitar, mas encontrava-se fechada, servindo de suporte para as instalações da Fifa. Chegamos na estação de metrô e seguimos para o Estádio Ahmad Bin Ali. E bem ali ao lado está o Mall of Qatar. Um moderno shopping, com diversas atrações culturais acontecendo em seus espaços.
Dentro do shopping o belíssimo Hilton Hotel. Ao contrário dos outros, este hotel de rede internacional não servia bebidas alcoólicas, assim como em todo o shopping. Seguimos em busca de um lugar para comer, a esta altura já mortos de fome e sede. E logo encontramos um restaurante que nos agradou: Sazeli Qatar.
O nome deriva de uma espécie de sal em pedra, exposto em todo o local do restaurante. Parece uma mercearia, onde você escolhe os alimentos expostos na prateleira, depois é tudo levado à mesa, algo parecido com nosso self-service. Além dos tradicionais homus, babaganuche, kafta, escolhemos somente dois gigantes “ribeye” de 700 gramas cada. Impressionante. Fomos presenteados com um show pirotécnico para a apresentação do que pareciam ser pequenos pedaços de filet mignon - o qual, soubemos depois pelo gerente, que prato não era para a nossa mesa, mas um “sheik” mais à frente. Que pena do garçom, com certeza levou um “pito”.
Ao chegar o nosso pequeno bezerro, o mesmo foi cortado pelo garçom com um show de facas. E ainda no final da apresentação, ele jogou o sal, como se fosse o famoso chefe turco de Dubai, “Nusret Gokçe”, sensacional!
 
A revanche veio a camelo
Dali já fomos para o Ahmad Bin Ali, situado ao lado do shopping. A hora do jogo se aproximava. Mais um belíssimo estádio, muito moderno, e além do show de abertura vimos o nosso primeiro jogo sem gols, entre Croácia X Bélgica, diante de 44 mil torcedores. Eu torci muito para a Croácia eliminar de vez a Bélgica, o que de fato aconteceu, foi a revanche da nossa eliminação pelos belgas na Copa da Rússia, e eu estava lá em Kazan, ao vivo.
Só não previa que numa das fases seguintes, esta mesma Croácia seria a algoz da nossa Seleção Brasileira. Coisas do futebol.
 
Curiosidades
No intervalo do jogo, fui conhecer uma grande área, onde tinha uma sala de orações. Ali os árabes tiram seus sapatos, lavam seus rostos, mãos e pés, e entram para orar, como em todos os estádios. Fiz um vídeo mostrando o local e comentando - e me vendo falar português durante o vídeo, um brasileiro que mora em Doha começou a conversar comigo e, numa longa conversa, explicou muitas coisas interessantes sobre o Qatar.
Dentre elas, destaco que apenas 300 mil são cidadãos catares entre os três milhões de habitantes.
Que os homens podem ter até 4 esposas, ou seja 4 famílias diferentes, sendo uma em cada casa, mas que hoje em dia eles têm no máximo duas, poucos têm três famílias.
Que os filhos desta união são do pai, e ficam com o pai no caso de uma separação.
Que as mulheres são tratadas como objeto, à disposição do marido.
Que o governo do Qatar paga tipo um “auxílio” para cada cidadão catare, que lhes dá o direito de não precisarem trabalhar, ou muitos deles trabalham para o próprio governo, e ganham muito bem. Imagine só: o Qatar, considerado o país mais rico do mundo, tendo que pagar para apenas 300 mil pessoas por mês. Por isso o país tem a maior renda per capita do mundo.
Que os catares não trocam seus carros por um novo, simplesmente abandonam e vão na loja e compram outro.
Voltei para meu assento, tomamos algumas cervejas sem álcool, secos pelo excesso de sal, e ao final do jogo fomos ao nosso segundo jogo do dia.
 


A praga do 7 X 1
De ônibus, chegamos novamente ao nosso primeiro estádio visto no Qatar. O Khalifa Stadium. O jogo era entre o Japão X Espanha. Num grupo extremamente equilibrado, contava ainda com a Alemanha e a Costa Rica, e tudo podia acontecer.
 
Diferente da primeira vez, nesta noite quando chegamos o Khalifa já se encontrava todo iluminado, uma maravilha de estádio. Também ficamos num excelente local, muito próximo do campo. O que parecia ser um novo passeio da Espanha frente ao Japão, o jogo virou, e diversas alterações na tabela aconteceram, pois ao mesmo tempo jogavam a Alemanha X Costa Rica, e todos tinham chance de passar para a próxima fase. Ao final do jogo, 2 X 1 para o Japão, para 45 mil torcedores, e os dois se classificaram. E a Alemanha estava fora mais uma vez na fase de grupos, assim como na Rússia e agora no Qatar.
Alguns fanáticos torcedores brasileiros (eu mesmo) disseram que a Alemanha será desclassificada na fase de grupo 7 vezes, desde que eliminou o Brasil naquele fatídico 7 X 1, faltam cinco copas!
 
Mais dois jogos da nossa programação foram cumpridos, e de metrô voltamos para a região do Souq, não sem antes dar uma passada no “Al Waldir” para tomar somente uma garrafa de vinho árabe, já que o gosto do bezerro ainda estava presente em nossa boca.
Passava das duas da manhã e o Souq, como sempre, lotado de gente. Fomos para nosso hotel, pois no dia seguinte teríamos nosso último dia de jogos e seria especial, pois finalmente veríamos a seleção brasileira.
 
Este foi o nosso quinto dia, continua no próximo episódio, até lá...

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.