16/03/2023 às 15h49min - Atualizada em 16/03/2023 às 15h49min

Café que desperta de um vulcão adormecido

Por Angela Caruso - @batomnaxicara / www.batomnaxicara.com.br
FOTOS: Reprodução Cafés da Região Vulcânica
C 
A ciência tem sua explicação para fenômenos naturais e sociais, mas bom mesmo é estar em uma roda para ouvir uma boa história, seja mito ou verdade, que explique de forma romântica ou fantasticamente algum fenômeno. O que importa é a criatividade e a emoção de como é contada, a fim de deixar a imaginação dos espectadores seguir seu rumo.
 
Os aborígenes australianos têm uma lenda para explicar o surgimento dos vulcões Monte Napier e o Monte Eccles: quatro gigantes foram enviados por Prenheal, o Grande Espírito Criador, com a missão de construir a paisagem local. Três deles assumiram a forma humana e foram para o norte e oeste dando origem a primeira linhagem semidivina. O quarto gigante, porém, manteve-se no sul, onde teria se agachado dando origem aos dois vulcões.
 
Poços de Caldas é conhecida por suas águas termais em função de estar situada na caldeira de um vulcão. Diz a lenda local que as águas quentes e mal cheirosas que queimavam animais que vinham saciar sua sede por aqui, brotavam do reino de Satanás. E assim batizaram a fonte de Caldeira de Pedro Botelho, atribuída ao Príncipe das Trevas - Pero el Botero, temível condutor das almas condenadas ao fogo eterno.  
 
Lendas à parte, o que importa é que o vulcão, adormecido há mais de 80 milhões de anos, deu origem a um solo fértil para a produção de cafés de qualidade. A chamada Região Vulcânica é um território demarcado e protegido que abrange 12 municípios montanhosos que dividem o sul de Minas e o oeste do Estado de São Paulo. Uma região cujas características de clima e relevo permitem um terroir peculiar, resultando num café com aroma e sabor de frutas amarelas, chocolate e caramelo. Uma bebida naturalmente doce e ímpar, de acordo com a variedade cultivada e o processamento de pós-colheita dado por seus produtores. Grãos premiados em diversos festivais de café na região e fora dela. 
 

Curiosamente, os 12 municípios juntos - Poços de Caldas, Caldas, Andradas, Ibitiura de Minas, Bandeira do Sul, Campestre, Botelhos e Cabo Verde, no lado mineiro, e Águas da Prata, Caconde, Divinolândia e São Sebastião da Grama no lado paulista - somam cerca de 1,79 milhões de sacas produzidas por ano, por mais de 7 mil produtores, gerando em torno de 17.700 empregos diretos. Uma associação dos produtores de café desta região foi criada para garantir a qualidade e valorização do café, além do processo para a conquista pela Certificação de Origem.
 
É bem verdade que em sua origem, os efeitos do café, na época ainda apenas os grãos vermelhos, foram considerados obras do diabo ao deixarem as cabras mais saltitantes após sua ingestão. No entanto, o que podemos garantir é que os efeitos do Café da Região Vulcânica são pura obra Divina, uma vez que trazem alegria e bem-estar a quem o consome.
 
 
Sabia que o Batom na Xícara é um Clube de Assinaturas de Café que, ao selecionar os cafés para os kits, privilegia os pequenos produtores e em especial as mulheres à frente da produção?
Saiba mais www.batomnaxicara.com.br.
 
 


 

*O Brand-News não se responsabiliza por artigos assinados por nossos colaboradores
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »