29/06/2022 às 17h13min - Atualizada em 29/06/2022 às 17h13min

Escolha de cosméticos seguros

Parte 2

Cabeleireiro, Visagista, Tricologista e Colorista - Studio JG Visagismo
Whats: (35) 9 9127-4885
Figura meramente ilustrativa - Reprodução Google
v 
O consumo de produtos de beleza tem aumentado a cada década. A quantidade de cosméticos que existiam nos anos 50 era muito menor, comparada com a da década de 60. Nos anos 90, esse número foi multiplicado por 10. E hoje, a oferta é tanta que fica difícil escolher sem pesquisa.
 
Esse número elevado de produtos de beleza se deve à alta procura pelos consumidores. E para ganhar espaço, os cosméticos se tornaram cada vez mais baratos e acessíveis. Para que isso fosse possível, as matérias-primas tiveram que se adequar à realidade. Quanto mais barata, mais em conta seria o valor final que chegaria até o consumidor. É por esse motivo que substâncias sintéticas artificiais passaram a dominar os rótulos dos nossos produtos de beleza. Elas diminuem o custo final, mas é a nossa pele e cabelo quem pagam os juros.
 
Substâncias sintéticas: problemas reais com benefícios ilusórios!
 
Produtos como máscaras de tratamento, condicionadores, cremes de pele e óleos finalizadores foram desenvolvidos para solucionar algum tipo de problema. Por exemplo, quem tem cabelos ressecados procura por máscaras de hidratação. Quem tem pele oleosa, procura por um tipo de máscara de tratamento facial.
 
A maioria desses produtos possuem substâncias sintéticas artificiais. Com o tempo, essas substâncias começaram a ser apontadas como causadoras de problemas, mais do que de soluções.
 
Hoje, elas são chamadas por muitos como ingredientes “proibidos”. Ou “proibidões”, como são conhecidas na internet.
 
Produtos com ingredientes “proibidos” apresentam benefícios imediatos, mas que a longo prazo trazem mais desvantagens do que vantagens. Por exemplo, um shampoo com sulfato forte cria bastante espuma ao lavar o cabelo. De início, isso não será um problema. Mas depois de várias lavagens, esse mesmo sulfato pode danificar os fios, deixando-os mais ressecados. Em cabelos coloridos e descoloridos, o dano é duas vezes maior.
 
No fim, cosméticos com essas substâncias apresentam poucos benefícios reais.
 
Hoje, sabe-se que esses cosméticos com ingredientes “proibidões” causam grandes danos ambientais. Petrolatos são difíceis de se dissolver, e podem acumular em esgotos, rios e oceanos. Sulfatos e parabenos também são grandes vilões do meio ambiente. Em contato com a água eles criam uma espécie de espuma, que em grande quantidade prejudica a absorção de luz solar pelas algas de rios e oceanos.
 
Portanto, o conhecimento de quais substancias pertencem aos seus cosméticos, fará grande diferença no resultado final.
 
Antes de escolher seus cosméticos, consulte um cabeleireiro tricologista para orientá-lo a usar o melhor produto.


 


*O Brand-News não se responsabiliza por artigos assinados por nossos colaboradores
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp