07/03/2022 às 15h25min - Atualizada em 07/03/2022 às 15h25min

Forca

Jornalista, publicitário, escritor e professor universitário
wiliam.oliveira@uol.com.br
Figura meramente ilustrativa – Reprodução Google
c
Existem informações que ao recebermos impactam definitivamente a nossa forma de viver, nossa consciência cósmica, nossos conceitos sobre o universo.
Na verdade, indagamos perplexos: “Como vivi até hoje sem saber disso?”
Quero então, compartilhar a informação que recebi hoje. Ela modificou toda a minha percepção neurovegetativa e degustativa e, tenho certeza, caso você esteja lendo e, também desconheça o fato, vai também mudar sua forma de ver o mundo. Veja só se não tenho razão.

Fiquei sabendo que o figo, que eu tinha a certeza, desde que o mundo é mundo, ser uma fruta (pasmem vocês), não é verdadeira.
O figo é uma flor. Isso mesmo, uma flor. Agora, me respondam. Como ficarei eu e tantas pessoas que ganharam ou perderam aqueles joguinhos de palavras ou de “Forca” ao responder fruta com “F”, imediatamente respondia “figo”?
Agora, como eu figo, quer dizer fico? Estou me sentindo desolado.
Com certeza, isso faz parte dessas questões de gênero, tão em moda ultimamente e que estão aí, a confundir nossos conceitos sobre o universo.
Contudo - macacos lhe mordam - a informação não parou por aí.
Sabe o chuchu, a abóbora, a vagem, o pepino, o pimentão e o quiabo, que você procura na sessão de legumes no mercado?
Sinto informar, e que isso não altere a sua veia aorta, mas todos eles são frutos. Não. Não é fruto da minha cabeça. São os botânicos que afirmam. Inacreditável, não é?
Enfim, vou parando por aqui, antes que alguém me informe que a rosa não é uma flor, a couve-flor não é um legume e cheiro-verde é apenas um aromatizante.




*O Brand-News não se responsabiliza por artigos assinados por nossos colaboradores
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp