31/01/2022 às 14h39min - Atualizada em 31/01/2022 às 14h39min

Meu caro amigo (Paródia)

Jornalista, publicitário, escritor e professor universitário
wiliam.oliveira@uol.com.br
Figura meramente ilustrativa - Reprodução Google
c
Meu caro amigo, me perdoe, por favor
Se não lhe pago a prazo, nem a vista
Mas como a crise me fez um devedor
Peço, por favor, que não insista

Aqui em Poços mais parece um carnaval
Tem muita festa, notinhas na coluna social,
Uma empresa fecha, outra não tem capital
Mas, o que quero lhe pedir, é mais uma gorjeta

Uma grana a mais para pagar a prestação
Ajude-me a cobrir o cheque sem fundo lá na praça
Um troco para eu tomar a minha dose de cachaça,
Abra a carteira e ajude o teu irmão

Meu caro amigo, eu não pretendo lhe cobrar
Esta nossa grande amizade
Mas vou rogar pra você fazer essa grande caridade

Aqui em Poços mais parece um carnaval
Tem muita festa, notinhas na coluna social,
Uma empresa fecha, outra não tem capital
Mas, o que quero lhe pedir, é mais uma gorjeta

É um faz me rir pra eu pagar o aluguel
Que a gente vai levando só no tranco, só na treta,
E a gente vai se virando, dando o golpe da muleta
Ninguém segura esse Vulcão.

(Paródia - Música "Meu caro amigo"- Chico Buarque)




*O Brand-News não se responsabiliza por artigos assinados por nossos colaboradores
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp