03/03/2023 às 15h32min - Atualizada em 03/03/2023 às 15h32min

Pinacoteca de São Paulo recebe primeira grande mostra panorâmica do artista Chico da Silva

FONTE: Imprensa Pinacoteca de São Paulo - [email protected] - FOTO: Divulgação
Chico da Silva, Sem título, 1984, guache sobre tela. Acervo da Pinacoteca de São Paulo, doação da Galeria Galatea, 2022
c 
A exposição “Chico da Silva e o ateliê do Pirambu” ocupa a principal galeria expositiva da Pinacoteca Luz a partir do dia 4 de março
 
A Pinacoteca de São Paulo, museu da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, apresenta a primeira grande mostra panorâmica do artista Chico da Silva (região do Alto Tejo, Acre, 1910 ou 1922/23 - Fortaleza, Ceará, 1985), com abertura no dia 4 de março. “Chico da Silva e o ateliê do Pirambu” ocupa a principal galeria expositiva da Pinacoteca Luz e convida o público a conhecer o legado do artista que foi um dos responsáveis por transformar o cenário artístico cearense a partir da década de 1940, com suas composições fabulares repletas de monstros mitológicos, animais fantásticos e outros personagens. Com curadoria de Thierry de Freitas, a mostra apresenta 124 trabalhos produzidos entre 1943 e 1984.

A exposição é a mais abrangente já realizada por uma instituição sobre o artista, reunindo um conjunto de importantes obras da trajetória de Chico da Silva, como Caboclo peruano, parte do singular grupo de desenhos realizados entre 1943 e 1944, emprestados da coleção da Pinacoteca do Ceará. A obra foi pintada no período em que se deu o encontro do artista com Jean Pierre Chabloz, crítico e artista Suíço, que primeiro se interessou pelos desenhos que Chico da Silva realizava livremente em muros de casas da região da Praia Formosa, em Fortaleza. Ao “descobrir” o então jovem artista, Chabloz fornece o material necessário para Chico criar trabalhos que posteriormente seriam comercializadas em lugares como Genebra, Lausanne e Lisboa. As principais obras desse período abrem a exposição.

Um hiato na produção de Chico acontece entre 1948 e 1960, período em que Chabloz esteve fora do Brasil. O artista não conseguiu seguir sozinho com a venda dos trabalhos e praticamente abandonou a carreira de pintor, a retomando apenas com a volta do crítico ao país, no final da década de 1950. A produção deste período está representada por um grupo de obras da coleção do Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (MAUC/UFC) - local em que Chico chegou a trabalhar no início da década de 1960, dentre as quais três foram agraciadas, em 1966, com a menção honrosa na Bienal de Veneza: A sereia e os dragões, Os pertences do índio Guimarães e Os peixes de Vênus.

A exposição “Chico da Silva e o ateliê do Pirambu” tem patrocínio da B3 - A bolsa do Brasil, na cota Platinum, e Credit Suisse, na cota Bronze.
 
SERVIÇO:
“Chico da Silva e a Escola do Pirambu”
Data: 04.03.2023 a 28.05.2023
Pinacoteca Luz - Funcionamento: de quarta a segunda, das 10h às 18h
Ingressos: Inteira - R$20,00, meia - R$10,00

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »