16/11/2022 às 15h00min - Atualizada em 16/11/2022 às 15h00min

Distúrbios do sono predispõem ao glaucoma, diz estudo

FONTE E FOTO: Eutrópia LDC - [email protected]
c 
Insônia, poucas ou muitas horas de sono aumentam em 13% a predisposição ao glaucoma. Sonolência diurna e roncar em 10%
 
A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que 40% da população global tem alguma alteração no sono. O mais grave é que uma pesquisa recém-divulgado pelo BMJ (British Medical Journal) revela que os distúrbios do sono aumentam o risco de glaucoma, maior causa de cegueira definitiva no mundo. Foi realizado com 409.053 participantes de 40 a 69 anos por pesquisadores do UK Biobank, maior banco de dados genéticos e de saúde do Reino Unido.
 
Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier de Campinas, o glaucoma geralmente surge a partir dos 40 anos e está em ascensão no Brasil por causa do rápido envelhecimento da população. A estimativa do IBGE é de que hoje 40% dos brasileiros estão nesta faixa etária. Em 2040 a projeção é de que 52% tenham 40 anos ou mais. O oftalmologista ressalta que o glaucoma degenera as células fotossensíveis da retina e do nervo óptico. Estas alterações são causadas pelo aumento da pressão interna do olho. “A pressão intraocular sobe por uma falha no escoamento do humor aquoso, líquido que é produzido constantemente e preenche o globo ocular”, explica. 
Para Queiroz Neto, os distúrbios do sono desregulam a produção da adrenalina e cortisol, hormônios que nos mantêm em estado de alerta, e da melatonina, hormônio indutor do sono. Resultado: “Os distúrbios do sono elevam a ansiedade e a depressão, importantes gatilhos do aumento da pressão intraocular e da pressão arterial, outro fator de risco para o agravamento do glaucoma”, salienta.  Por isso, se você ronca, tem sonolência durante o dia, dorme pouco ou muito, deve acompanhar a saúde de seus olhos com um oftalmologista e paralelamente passar por uma higiene do sono.
 
Engana-se quem pensa que dormir 12 horas é bom para a saúde. Os pesquisadores do UK Biobank concluíram na pesquisa que a insônia, dormir pouco ou muito aumentam em 13% o risco de glaucoma. Já a sonolência diurna e roncar aumentam em 10%. A pesquisa também aponta que o ideal para a saúde é dormir entre 6 e 7 horas/dia.
 
TIPOS DE GLAUCOMA - Queiroz Neto afirma que casos de glaucoma na família também aumentam o risco de desenvolver a doença. Em 90% dos casos, o glaucoma é de ângulo aberto, considerado crônico, mais frequente entre afrodescendentes e totalmente assintomático. Por isso, muitas pessoas só descobrem em estágio avançado e acabam precisando usar vários colírios para manter a pressão intraocular sob controle. Outros 10% são glaucoma de ângulo fechado, caracterizado por uma forte dor súbita, vermelhidão, náuseas e vômito. É mais frequente em asiáticos que tem a câmara anterior do olho mais estreita, altos míopes e usuários contínuos de medicamentos que dilatam a pupila.
 
PREVENÇÃO - As orientações do oftalmologista para quem tem glaucoma ou casos na família são:
· Pratique exercícios aeróbicos como natação, caminhada ou corrida pelo menos 3 vezes na semana.
· Beba água com moderação.
· Evite tocar o bico dosador do colírio nos olhos.
· Use apenas uma gota de cada colírio.
· Evite tocar instrumentos de sopro.
· Mantenha a glicemia sob controle.
· Faça o acompanhamento da pressão arterial.
· Controle as noites de sono.
· Desligue seus equipamentos à noite.
· Não adie a cirurgia de catarata. Ela pode melhorar seu sono e lhe livrar dos colírios.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.