24/06/2022 às 16h29min - Atualizada em 24/06/2022 às 16h29min

Tarde de autógrafos vai marcar o lançamento do livro autobiográfico de Q. B. Costello

FONTE: Brand-News/Divulgação - FOTOS: Divulgação
“Que possa trazer esperança e aumentar a fé no coração de cada leitor”, diz Q. B. Costello


Poços-caldense que trabalha na Cruz Vermelha vai lançar neste domingo, na Urca, livro autobiográfico
 
Queila Araújo Costello, mais conhecida como Q. B. Costello, sobrenome do marido, Allan Costello, vai lançar neste domingo (26), em Poços de Caldas, sua cidade natal, o livro autobiográfico “O preço da minha jornada” (Editora Autografia). A tarde de autógrafos vai acontecer no Espaço Cultural da Urca, a partir das 14h, em meio a apresentações musicais, dança contemporânea e flamenco. Outro lançamento já está programado para breve - o livro estará na 26ª edição Bienal Internacional do Livro de São Paulo, no Expo Center Norte.
 
O livro conta a vivência de Queila como imigrante nos Estados Unidos. As dificuldades, anseios, fatos decisivos que marcaram sua trajetória de vida. “Uma história de fé, esperança, alegrias, sofrimentos e superação, confiando somente em Deus e tendo pessoas extraordinárias em meu percurso que me deram a mão, elevaram-me. Muitos ainda continuam fazendo parte de minha vida nessa trajetória sozinha de 23 anos em três diferentes países, em uma terra estranha que me acolheu e hoje é minha terra”, resume.
 

A história tem início em 1998, quando ela saiu do Brasil para estudar medicina na Bolívia. Sem finalizar o curso, depois de uma rápida volta ao Brasil regressou à América, desta vez para fixar residência e trabalhar na Cruz Vermelha. Depois de um curso intensivo e da mudança para o Novo México, tornou-se Supervisora Nacional de Desastres em Shelters (abrigos), voluntária na USA Red Cross.
O trabalho à frente da organização humanitária que presta assistência às vítimas da guerra e de outras situações de violência, não está no livro. É mais recente. “A Cruz Vermelha faz um trabalho excepcional. Os voluntários doam seu tempo, suas habilidades, trabalham com amor sem receber nada”, destaca.
 
Aventureira, adepta de esportes radicais - ela já escalou com o marido o pico mais alto do Arizona e do Novo México -, Queila mora no deserto, a duas milhas do Rio Grande, na fronteira entre México e Estados Unidos, usado por muitos como rota mais rápida e perigosa para entrar ilegalmente nos EUA.
A casa, segundo ela, é totalmente sustentável e fica no “meio do nada”. Tudo ali é reciclado, a água é de mina, e materiais como pneus, barro e vidros estão por todo lado. Solar, não usa eletricidade. O uso eficiente da água e energia priorizam a saúde e o bem-estar. Uma relação saudável com o meio ambiente, um estilo de vida.
 

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp