05/04/2022 às 15h58min - Atualizada em 05/04/2022 às 15h58min

Museu Histórico e Geográfico recebe scanner para digitalização do acervo

FONTE E FOTOS: Secretaria Municipal de Comunicação Social da Prefeitura de Poços de Caldas
Trabalho de escaneamento está sendo realizado pela estagiária de Arquitetura do MHG, Letícia Luvizotti
c
Equipamento foi adquirido com recursos do FUNDEPHACT
 
A carta de sesmarias recebida pelo capitão José Bernardes da Costa Junqueira, proprietário das terras onde hoje se situa a cidade de Poços de Caldas, da segunda década dos anos de 1.800, é uma das preciosidades constantes do acervo do Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas. Em breve, pesquisadores de qualquer lugar do mundo poderão consultar o documento digitalizado, graças à aquisição de um aparelho de scanner específico, de fundamental relevância na preservação e difusão do acervo. 
O scanner A2 para documentos e livros, da Navisystem Importação, tem resolução de 200 dpi, com sensor de imagem de 15 megapixels e velocidade de captura de 1 segundo por folha. Com investimento de R$ 11.350,00, o equipamento foi adquirido com recursos do Fundo do Patrimônio Histórico, Artístico, Cultural e Turístico (FUNDEPHACT)
“Nós do conselho ficamos muito satisfeitos em contribuir para a preservação do acervo do Museu Histórico e Geográfico de Poços. São documentos que contam nossa história e que, desta forma, ficam mais acessíveis aos pesquisadores e toda população”, ressalta o presidente do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico, Artístico, Cultural e Turístico de Poços de Caldas, Evandro Limão
A Divisão de Patrimônio Construído e Tombamento integra a Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente (Seplan). “A Secretaria é sensível à relevância do tema e não mediu esforços para que a aquisição do equipamento fosse efetivada”, informa a secretária adjunta de Planejamento, Cibele Melo Benjamim
 
ACERVO - Estão sendo escaneados documentos, livros e periódicos que integram o acervo da Biblioteca Nilza Botelho Megale, do Museu Histórico e Geográfico. “O equipamento é aguardado pela equipe há bastante tempo. Essa necessidade surgiu porque temos documentos muito antigos, os chamados ‘documentos especiais’, que estão adequadamente acondicionados na nossa hemeroteca, mas não podem ser manuseados pelos pesquisadores pelo risco de deterioração”, explica a auxiliar de biblioteca, Ágatta Morganna Brandão de Oliveira
Ela conta que o trabalho de digitalização do acervo já vinha sendo feito em equipamentos emprestados de outros setores, mas não específicos para este serviço. O scanner adquirido comporta documentos até o tamanho A2 e funciona de forma a garantir a total integridade do material físico, gerando automaticamente o arquivo digital, em programa próprio. 
 
Hoje, o arquivo fotográfico do Museu Histórico e Geográfico já está disponível em formato digital, assim como parte do arquivo documental. Com o novo equipamento, será possível digitalizar todo o acervo físico da biblioteca Nilza Botelho Megale, prioritariamente os documentos especiais, como as cartas de sesmarias, por exemplo. No local, há jornais físicos da cidade desde 1.904 e periódicos da Capitania de Minas Gerais do século XIX. 
“É uma compra muito aguardada pela equipe do Museu, que passou por um complexo processo de aquisição. Queremos agradecer imensamente ao Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Cultural e Turístico de Poços de Caldas - Condephact - e a Secretaria Municipal de Planejamento, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente pela parceria. A chegada do aparelho é um marco no trabalho de digitalização, catalogação e difusão do nosso acervo”, avalia a coordenadora do Museu Histórico e Geográfico, Marina Andrade. O trabalho de escaneamento está sendo realizado pela estagiária de Arquitetura do MHG, Letícia de Melo Luvizotti
 
PESQUISAS - Atualmente, o Museu Histórico e Geográfico atende pesquisadores de diversas localidades, por meio de agendamento. A equipe localiza e separa os materiais referentes ao tema a ser pesquisado e recebe os pesquisadores na biblioteca Nilza Botelho Megale. O atendimento pode ser agendado pelo telefone (35) 3697-2197
A maior parte do público de pesquisadores é formada por professores e estudantes universitários que desenvolvem pesquisas nas mais diversas áreas. Outras instituições culturais também estão sempre em contato para embasar seus levantamentos historiográficos.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp