17/03/2022 às 14h51min - Atualizada em 17/03/2022 às 14h51min

Museu do Festival de Cinema de Gramado reabre as portas e apresenta novo projeto mais interativo

FONTE E FOTO: Gramado Parks | Máquina CW
C 
Administrado pela Gramado Parks desde a sua inauguração, em 2016, a empresa já investiu mais de R 5 milhões no museu para valorização da cultura e do cinema
 
Em um ano tão marcante para a história do cinema nacional, em que o Festival de Cinema de Gramado completa 50 anos, o museu reabre as portas com um projeto arquitetônico totalmente novo, mais moderno e interativo, a fim de trazer mais experiências para os cinéfilos de plantão e visitantes que amam aproveitar as atrações turísticas e culturais da cidade.
 
Responsável por toda a concepção do museu desde 2016, ano de sua fundação, a Gramado Parks, grupo de hospitalidade e entretenimento com sede na Serra Gaúcha, também idealizou o novo projeto e conduziu a modernização do espaço junto a um time de experts. O grupo entende o museu como uma oportunidade de colaborar com a cultura e história do país, que caminha junto e está totalmente atrelada ao turismo brasileiro, especialmente ao de Gramado.
 
“Nós temos como propósito unir o melhor da hospitalidade e entretenimento para realizar sonhos, aproximar famílias e gerar memórias encantadoras. O Museu do Festival de Cinema de Gramado representa muito bem isso e oferece experiências únicas aos visitantes e comunidade da região. Gramado tem uma grande conexão e relevância com o cinema e colaborou para que a história da sétima arte brasileira fosse contada e vivenciada de forma espetacular. Nós, que também fazemos parte da vida da região, não poderíamos deixar de colaborar para que os importantes momentos do cinema e da cultura brasileira continuassem a ser contados. Queremos oferecer sempre inovação e modernidade para tudo que envolve o turismo brasileiro e, por isso embarcamos nesse projeto com tanto entusiasmo e dedicação”, explica Anderson Caliari, presidente da Gramado Parks.
 
No museu a história do cinema é narrada e vivenciada em mais de 25 atrações dedicadas à trajetória da cidade e ao Festival de Cinema de Gramado, evento icônico e muito respeitado, além de destacar também o cinema nacional e Latino. A historiadora do Museu do Festival de Cinema de Gramado explica que além da modernização do local, o novo museu tem um espaço denominado Festival Projeta - Novos Cineastas, que foi pensado para oferecer e incentivar o trabalho de novos produtores de curtas metragens. “Haverá um edital para escolher trabalhos de dois diretores que poderão expor seus curtas por cerca de 3 meses no museu. A ideia é apoiar o futuro do cinema e dar espaço para novos talentos como uma forma de continuar investindo no desenvolvimento da arte e cultura do Brasil” explica Indiara Seibt, historiadora do museu.
 
O novo projeto arquitetônico, assinado por Daniela Giovana Corso e Kelen Giordani Tomazelli, tem inspiração em artefatos antigos da origem do audiovisual, que permeiam a concepção da maioria dos espaços, nomeados com base nas categorias de premiação do Festival. O conceito explora a interatividade, tanto digital quanto sensorial, sem deixar de lado todo o conceito do museu, algo tão simbólico e importante.
 
A história ao longo da mostra é contada por diversas formas de comunicação, textos interativos, conteúdos audiovisuais, além de diversas brincadeiras lúdicas. No centro do museu há uma instalação que permite a transmissão de filmes em cartazes ou também projetos didáticos e educativos, direcionados a pequenos grupos. Há ainda uma playlist composta por trilha sonoras de filmes do cinema brasileiro e salas que exploram matérias memoráveis.
 
A obra de arte do Kikito, símbolo e prêmio máximo concedido no Festival, também ganhou uma releitura. “Antes a arte do primeira Kikito (1973 - 1989) era feita de madeira e agora ganha uma versão mais moderna, com aproximadamente dois metros de altura, misturando o material antigo com efeitos inspirados na Op Arte (Movimento de Arte Óptica), de forma a dar ainda mais força ao universo lúdico de interatividade”, explicam as arquitetas.
 
Outra novidade é a cafeteria do museu, que também foi totalmente renovada. O ambiente e cardápio tornam-se temáticos, com referências a grandes sucessos do cinema brasileiro, como a seção “Café, um dedo de prosa”, que apresenta uma variedade de bebidas à base de café. O local é aberto a todo o público, que pode apreciar o novo cardápio admirando a vista da Rua Coberta e a Igreja Matriz, duas das principais atrações turísticas da cidade.
 
Rosa Helena, Secretária de Turismo da Gramado Parks e Presidente da Gramadotur, comemora a reabertura do museu, que é de extrema importância para a comunidade de Gramado e turismo nacional. “O Museu do Festival de Cinema de Gramado faz parte de tradições, que já gerou e felizmente continuará gerando muitas memórias inesquecíveis para quem vivenciá-lo. Eu, como uma admiradora dessa arte e também de Gramado, estou muito animada. Sou uma incentivadora desse projeto que visa aproximar ainda mais a comunidade e levar experiências inesquecíveis para os turistas”.
 
A atração também conta com o patrocínio da marca LG, que estará presente no local oferecendo sua alta tecnologia por meio de 53 telas Smarts TVs e Vídeo Walls de 46 polegadas, levando inovação para o público com modernas projeções. “Essa parceria impulsiona nossa área de negócios, a LG Business Solutions e reforça um dos nossos pilares, que é o compromisso com a cultura, apresentando um universo futurístico e incentivando as pessoas a conhecerem mais sobre a história do festival do cinema”, explica Rodrigo Fiani, vice-presidente de vendas para o mercado B2B da LG.
 
 
SERVIÇO:
Museu do Festival de Cinema de Gramado
Funcionamento: todos os dias (domingo a domingo), das 11h às 19h
Valor: R$ 50 inteira, R$ 25 meia e R$ 15 para moradores de Gramado
Ingressos no site
Facebook
Instagram: @museucinemagramado

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp