19/01/2022 às 16h09min - Atualizada em 19/01/2022 às 16h09min

Loja instagramável: como funciona e por que criar uma

Por Carol Affonso - Comunicação Estratégica para Instagram
@carolonlline
C 
O varejo físico mudou. Agora, a moda é espaço físico com um design bem projetado e aconchegante para os clientes - e o movimento tem tudo a ver com competitividade de mercado. 
Entenda!
 
Você entra numa loja física de moda, as luzes são harmônicas, o som ambiente te traz tranquilidade e, por alguns minutos, você esquece toda a correria do dia. Andando um pouco mais, observa as araras com design industrial, separa algumas peças de roupa e as levam para o provador que mais parece um lounge. Entre uma prova e outra, sente um cheirinho diferente que ficou guardado na sua memória. E claro, tira algumas fotos para postar nas redes sociais.
 
Imaginou a cena? Pois essa é uma das experiências que as novas lojas físicas dos mais variados segmentos oferecem aos consumidores. Esses espaços são chamados de lojas conceito, flagship stores ou lojas instagramáveis.
 
Marcas como Havaianas, Lacoste e Westwing já têm as suas próprias versões. Mas por quê? Atrai mais clientes, aumenta a visibilidade da marca e das vendas.
 
A explicação, no entanto, está no neuromarketing. “Como as lojas conceito instagramáveis estão repletas de estímulos sensoriais - tato, olfato, paladar, visão e audição - “[eles] causam efeitos conscientes e inconscientes nas emoções dos consumidores”, conta Norberto Almeida de Andrade, especialista em neuromarketing e autor de livros sobre marketing e inovação.
 
O QUE É UMA LOJA CONCEITO?
É um ambiente físico que oferece aos clientes inspiração, descoberta e experiências. Justamente por isso, o espaço tem design bem projetado e aconchegante. 
O objetivo é “conectar e agradar o público-alvo”, afirma Clara Franco, professora e consultora de marketing estratégico e posicionamento de negócio.
Qual é o diferencial? “Iluminação, música, ambiente, cheiro, posicionamento do produto e atendimento personalizado”, diz o Sebrae
E se você pensou, “ué, gente, o que o cheiro tem a ver?” Eis a resposta: Cheirinho de sucesso… Isso porque, a memória olfativa - ou a lembrança pelo cheiro - é uma das mais rápidas a recordar e mais duradoura. Demais, né?
 
O QUE É UMA LOJA INSTAGRAMÁVEL?
É um braço da loja conceito. Na prática, trata-se de um ambiente com espaços fotogênicos em que as pessoas possam tirar fotos e gravar vídeos. E como você deve imaginar (ou não), a tendência é estimulada pelo aumento de pessoas que postam tudo nas redes sociais.
Por que o nome é instragramável? Por causa dos instagrammers. Calma que eu explico. Instagrammers são influenciadores do Instagram respeitados em sua área de atuação. Logo, o crescimento dessa galera deu origem aos ambientes instagramáveis - que a décor é tão bonita que as pessoas sentem vontade de publicar fotos e vídeos do ambiente na rede.
Mas apesar do nome, esse comportamento está longe de ser limitado apenas ao Instagram. Hoje, os influenciadores digitais (pessoas e marcas) estão também em plataformas como Pinterest e TikTok - que, por sinal, têm mostrado crescimento expressivo.
 
MARKETING DE INFLUÊNCIA
Bom, a nossa conversa chegou na pauta dos influenciadores também por outro motivo: eles têm um papel importantíssimo quando o assunto é loja conceito.
Por que? Todos nós já fomos - ao menos uma vez - influenciados por alguma pessoa. Agora imagine no contexto do espaço instagramável: se a clientela tira foto e posta nas redes sociais, a chance dela influenciar alguém a visitar a loja é grande - e nem precisa de muitos seguidores.
Os números explicam: os nanosinfluenciadores - que têm menos de 15 mil seguidores - têm uma taxa de engajamento de 3,86%, segundo pesquisa do Influence Marketing Hub em parceria com o Upfluence. Para efeitos de comparação, os megainfluenciadores - com mais de 1 milhão de seguidores - apresentam a taxa de 1,21%.
E o que você pode aprender com isso? Que o próprio perfil nas redes sociais de sua marca é uma forma de influenciar e fisgar consumidores.
 
COMO CRIAR UMA LOJA CONCEITO?
É preciso de um projeto de arquitetura para loja física, briefing detalhado do público-alvo e o objetivo da marca, estudo sobre as melhores cores, sons e fragrância.
“Projetar uma experiência física com o equilíbrio certo de segurança, emoção e conveniência é a chave para distinguir a marca da concorrência. O envolvimento do cliente tem tudo a ver com criar uma conexão e uma linha de comunicação entre a marca e seus clientes, e não se pode desenvolver esse vínculo sem primeiro chamar a atenção de seus clientes”, aconselha Andrade.
 
LOJAS CONCEITO EXEMPLOS
1-Havaianas 
Recentemente, a Concept Oscar Freire foi a primeira loja redesenhada com base no novo guideline global de Havaianas, que traz inovação, sustentabilidade e liberdade aos clientes. No local, tem experiências sensoriais, como personalização de produtos, espaço para descarte de chinelos (que serão reciclados) e tecnologia nos atendimentos.
“Durante o percurso, o consumidor tem uma experiência sensorial, com sons, imagens que contam histórias, espelhos e vegetação”, conta a empresa.
 
2- Lacoste
A Lacoste inaugurou no ano passado, no Shopping Iguatemi São Paulo, a primeira loja conceito da América Latina, com foco na nova geração de consumidores (Millennials e Geração Z). O ambiente moderno não tem vitrines - o espaço é aberto. As paredes têm o efeito queimado e os bancos são verde escuro. Tecnologia também faz parte… Por lá, clientes podem pagar usando QR Code disponível no local.
 
 
Fonte: sincovaga SP


*O Brand-News não se responsabiliza por artigos assinados por nossos colaboradores
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp