10/11/2021 às 14h55min - Atualizada em 10/11/2021 às 14h55min

Instagram pode ganhar assinaturas pagas

Por Carol Affonso - Comunicação Estratégica para Instagram
@carolonlline
Figura meramente ilustrativa - Reprodução
As empresas de inteligência de mercado digital Sensor Tower e Apptopia detectaram que o Instagram adicionou recentemente novas opções de compras internas dentro da versão estadunidense da App Store. Nomeadas como "Instagram Subscriptions" - Inscrições Instagram em tradução livre -, as aquisições podem representar a chegada de mais uma forma de incentivar criadores de conteúdo. Adam Mosseri, chefe da rede social, já informou no começo do ano que gostaria de explorar esse tipo de ferramenta.
Até então, as aquisições na plataforma eram restritas às badges, que são itens virtuais para apoiar perfis durante transmissões ao vivo. As novas Inscrições custam de US$ 0,99 a US$ 4,99 no país - de R$ 5,40 a R$ 27,44 em conversão direta. Não obstante, elas também foram informadas na versão nacional com preço único de R$ 5,50.
Segundo o portal TechCruncho Instagram testa atualizações com um grupo pequeno de criadores antes do lançamento em massa. Portanto, caso a novidade seja lançada no futuro próximo, é possível que ainda não esteja disponível para alguns influenciadores. 

 
Mais monetização no futuro?
 
Em agosto, o desenvolvedor e insider Alessandro Paluzzi percebeu a existência de "Stories Exclusivos" na rede social, que ficam indisponíveis para o público geral, não podem ser copiados e são oferecidos aos inscritos pagantes de "Clubes de Fãs". Os usuários exclusivos também contavam com acesso a certos vídeos ao vivo e medalhas para serem identificados como membros. 
O Instagram ainda não forneceu detalhes sobre as "Inscrições", então ainda não é possível afirmar que elas estão ligadas aos clubes vazados neste ano. 
Durante a Creator Week de junho, Mosseri citou três tipos de monetização atrelados aos criadores. O primeiro envolve comércio, que incluí produtos com a marca do influenciador e marketing de afiliados. O segundo representa a receita de anúncios, e o último são pagamentos diretos, como doações, as badges e acesso a conteúdos bloqueados, o que pode ser representado pelas novidades de hoje. Em maio, o executivo informou até interesse em um mercado para NFTs.
As iniciativas podem ser uma tentativa de competir com outras plataformas, como o Twitter, que recentemente lançou o Super Follows, o YouTube que separou uma quantia de US$ 100 milhões para incentivar os Shorts e o TikTok que anunciou um fundo de US$ 300 milhões para criadores na Europa. 
 




*O Brand-News não se responsabiliza por artigos assinados por nossos colaboradores
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp