09/07/2024 às 15h47min - Atualizada em 09/07/2024 às 15h47min

Memória Histórica - A Revolução Constitucionalista em Poços de Caldas

“Prisioneiros Paulistas saindo do Banho Thermal” - Foto: Arquivo Público Mineiro, reprodução do Blog “Memória de Poços de Caldas”

 
Pouco sabemos do episódio acontecido em terras poços-caldenses, porque a 15 de junho de 1932 o prefeito Assis Figueiredo e o delegado de polícia Moacyr Vieira Martins - por orientação do governo de Minas Gerais -  assinaram uma Portaria proibindo a divulgação de notícias sobre a Revolução, alegando dar tranquilidade aos moradores locais. Os jornais, a rádio e a veiculação de impressos passariam pelo crivo do delegado de polícia.
 
Sabe-se que a presença maciça da Força Pública Mineira em terras poços-caldenses deu-se durante a Revolução Constitucionalista, ocasião em que, nesta região do sul de Minas, instalou-se, a partir de 9 de julho de 1932, um Quartel Geral que concentrou o Estado Maior e vários Departamentos de uma das três Brigadas Militares do Estado de Minas Gerais para garantir a ordem e patrulhar a divisa de Minas com São Paulo. Esse contingente esteve nas linhas de combates na Prata, Grama e Divinolândia, durante três meses. Cessado o conflito, em 2 de outubro de 1932, os militares se retiraram.
 
Conforme os registros da época, comandava a “Brigada Amaral” o coronel Octávio Campos do Amaral e o “Destacamento Lery” estava sob o comando do coronel Edmundo Lery Santos.
 
Interessante depoimento pessoal sobre o movimento vamos encontrar no livro Amor e Trabalho, da senhora Mathilde de Carvalho Dias, pois a Fazenda Recreio ficava parte em Minas e parte São Paulo, com isso a família Carvalho Dias ficou entre dois fogos.
 
Outro registro histórico sobre a Revolução foi a presença em Poços de Caldas - fazendo a cobertura da Revolução para os Diários Associados, de Belo Horizonte -  do escritor Rubem Braga. Na mesma época, Carlos Drummond de Andrade aqui esteve acompanhando Gustavo Capanema, Secretário do Interior do governo de Minas Gerais.
 
Bibliografia:
DIAS, Mathilde de Carvalho. Amor e Trabalho (Recordações de uma Fazendeira do Sul de Minas), Livraria José Olympio Editora, 1973, Rio de Janeiro, RJ
MAIA, Carlos da, Uma Estação em Poços de Caldas, Instituto Anna Rosa, 1925, São Paulo - SP
PEREIRA, Marcos Aurélio, Revolução Constitucionalista, Editora do Brasil AS, s/d, São Paulo - SP
PONTES, Hugo. Visitantes Ilustres - Poços de Caldas 1886-1986, Edição do autor, Sulminas Digital, 2018, Poços de Caldas, MG  
VISCARDI, Cláudia Maria Ribeiro, A Força Pública de Minas Gerais, Revista Locus, nº. 1, 1995, Juiz de Fora – MG
Jornal Revista de Poços, 1932
                                                                                   
Por Hugo Pontes - Professor e pesquisador
E-mail: [email protected]

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.