10/06/2024 às 16h15min - Atualizada em 10/06/2024 às 16h15min

Conquista e equilíbrio: a jornada de uma campeã de jiu-jitsu

FONTE E FOTOS: Jubinsk

 
Há alguns anos, encontrei a Bia no semáforo vendendo trufas. O que chamou minha atenção foi a medalha que ela carregava no peito. Curiosa, perguntei a ela por que estava vendendo trufas. Ela respondeu que estava arrecadando dinheiro para participar de um campeonato. Os anos passaram e hoje reencontro a Bia em uma posição completamente diferente no esporte, com inúmeras conquistas e ainda batalhando para ser a mulher excepcional que é. O esporte transcende competições, criando laços e conexões que unem pessoas com objetivo comum: superação e crescimento pessoal.
 
Sua trajetória de determinação e sacrifício é inspiradora. Ela demonstra um foco inabalável, abrindo mão de prazeres e comodidades para atingir seus objetivos. Em um mundo onde a luta é tradicionalmente dominada por homens, Ana Beatriz dos Santos, natural de Campos do Jordão (SP), está redefinindo o que significa ser uma campeã de jiu-jitsu. Recentemente, ela alcançou um marco significativo em sua carreira, conquistando a faixa preta, um símbolo de excelência e dedicação no esporte.
 
A trajetória dessa atleta começou aos 15 anos, quando se mudou para Poços de Caldas (MG) com uma faixa laranja na bagagem. Foi aqui que ela iniciou seu treinamento com Mestre Paulão Rezende, um treinador renomado, e começou a trilhar seu caminho de sucesso. Em seis anos de treinamento intenso, ela conquistou diversos títulos, incluindo o prestigioso World Pro, e se tornou campeã mundial em 2022. Além disso, foi vice-campeã em várias outras competições ao longo dos últimos três anos.
 
"O tatame representa para mim respeito, gratidão e é um lugar onde consigo me expressar", diz ela. "Adoro lutar e treinar forte. É uma paixão que me permite explorar minha força e resiliência."
 
Mas sua vida não se resume apenas ao jiu-jitsu. Ela também valoriza seu lado feminino e se esforça para equilibrar a intensidade dos treinos com cuidados pessoais. "Gosto de cuidar do meu cabelo, das minhas unhas e da minha aparência. Mesmo com a rotina de treinos, sempre encontro tempo para me cuidar", explica. Para ela, é essencial manter esse equilíbrio, especialmente em um esporte onde as mulheres estão conquistando seu espaço.
 
"Por mais que eu seja uma atleta de jiu-jitsu, acho importante manter minha feminilidade. A luta sempre foi vista como um esporte masculino, mas as mulheres estão ganhando espaço e mostrando que também podem ser fortes e competitivas. É muito legal ver essa mudança."
 
Ela acredita que essa dualidade entre ser uma atleta dedicada e valorizar sua feminilidade a torna uma pessoa mais completa. "Gosto desse meu lado 'moleca'' no tatame, mas também adoro me sentir mulher e cuidar de mim."
 
Sua história é um exemplo inspirador de determinação, equilíbrio e paixão. Enquanto continua a conquistar novos títulos e desafios no jiu-jitsu, ela também prova que é possível ser forte e feminina ao mesmo tempo. Para as futuras gerações de mulheres no esporte, ela é uma verdadeira inspiração, mostrando que o tatame é um lugar para todos.
 
“A Bia é uma pessoa incrível, uma perfeccionista dedicada que busca sempre os extremos em seus treinos. Ela é focada, disposta a abrir mão dos prazeres imediatos para alcançar a melhor performance, tenho certeza de que juntos vamos conseguir fazê-la campeã mundial de faixa preta. Sua dedicação e sacrifícios não passam despercebidos. Bia, continue focada e determinada, porque seu potencial é ilimitado. E nós, sua equipe, estaremos sempre aqui para apoiá-la em cada passo dessa jornada”, disse o Mestre Paulão Rezende

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.