Brand-News Publicidade 1200x90
28/05/2024 às 15h54min - Atualizada em 28/05/2024 às 15h54min

Mato Verde, no Norte de Minas, lança a moeda “Verdinha” para fomentar o desenvolvimento econômico local

FONTE E FOTO: Sebrae Minas - [email protected]

 
A moeda pública local começou a circular no dia 27 de maio e visa aumentar as transações comerciais no território e reter a riqueza no município.
Resplendor, no leste de Minas Gerais, foi o primeiro do país a adotar uma moeda pública local: a Ubérrima 
 
Mato Verde, localizado no norte de Minas Gerais, lançou oficialmente a moeda pública local Verdinha, em cerimônia realizada no dia 27 de maio. A iniciativa foi motivada pela necessidade de criar mecanismos para reter a riqueza no município, aumentando as transações comerciais no próprio território, e fomentar o desenvolvimento econômico local.
 
A Verdinha foi criada por meio da lei municipal nº 344, de 2 de dezembro de 2022, e lei nº 372, de 29 de novembro de 2023, e age como uma moeda complementar à nacional. Para os primeiros meses de circulação, mais de 40 mil cédulas foram impressas, totalizando R$ 180 mil (Reais) ou V$ 180 mil (Verdinhas). Cada R$ 1 equivale a V$ 1. As notas disponíveis da Verdinha são de 1, 2, 5, 10 e 20. A princípio, a população poderá realizar as operações de câmbio na Sala Mineira do Empreendedor de Mato Verde.
 
A expectativa é que todo o comércio e empreendedores do município aceitem a moeda local e ofereçam benefícios aos consumidores para pagamento em Verdinha, uma vez que a moeda vai circular livremente, sem a necessidade de fazer um cadastro prévio. Cada estabelecimento poderá definir a porcentagem de desconto e outras vantagens para ampliar, cada vez mais, a utilização das cédulas.
 
Além da adesão do comércio, a Prefeitura Municipal vai utilizar a Verdinha para realizar pagamentos de benefícios sociais, a fim de colocar em circulação a Verdinha sem implicar em novos gastos para o município. A nossa moeda vai trazer diversos benefícios econômicos para Mato Verde e gerar um processo de formação cidadã da população, na medida em que as pessoas compreenderem o valor de uma moeda local, que promove o município para os próprios moradores”, destaca o prefeito de Mato Verde, Pedro Henrique Horta Freitas.
 
A Verdinha será fiscalizada pelo Conselho Monetário Municipal e Controladoria Geral do Município, todos com o objetivo comum de garantir a sustentabilidade financeira e a legalidade da moeda. A nova moeda possui lastro no Fundo Monetário Municipal, que confere segurança e credibilidade à iniciativa.
 
“A conscientização e a sensibilização da população são fundamentais, pois o principal benefício é coletivo: fortalecer a economia local, ampliando o processo de geração de renda, emprego e trabalho para todos”, reforça Ralfh Camargo, secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo e presidente do Conselho Monetário Municipal.
 
DESENVOLVIMENTO LOCAL - A criação da moeda pública faz parte do Plano Municipal de Desenvolvimento Econômico (PMDE) de Mato Verde. Com o apoio do Sebrae Minas, o município definiu ações prioritárias para movimentar a economia e impulsionar a geração de trabalho e renda, com foco no estímulo aos pequenos negócios locais.
 
O programa Moeda Pública Local é uma das soluções desenvolvidas pelo Sebrae Minas para apoiar o desenvolvimento econômico dos municípios mineiros, especialmente por meio da estratégia de retenção de riqueza nas economias locais. A iniciativa foi inspirada na experiência de moedas sociais utilizadas em vários municípios do mundo. A instituição apoia os municípios com orientação, mentoria, instrumentos legais e apoio nas atividades de sensibilização e mobilização das comunidades.
 
O presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas, Marcelo de Souza e Silva, destaca a importância da iniciativa. “A parceria com a Prefeitura de Mato Verde é valiosa para promover o desenvolvimento econômico do município e aumentar a oferta de dinheiro circulando, evitando a saída de recursos financeiros para outras cidades. Com certeza, todos saem ganhando, inclusive os empreendedores de Mato Verde, que poderão lançar mão de estratégias promocionais para estimular a população a usar a Verdinha em seus estabelecimentos”, reforça.
 
Verdinha é uma alusão ao nome da cidade e à metáfora de papel moeda, devido a existência de papel moeda na cor verde. Ela também pode ser relacionada à ideia de sustentabilidade, uma vez que estimula atividades econômicas locais potencialmente mais sustentáveis.
 
As imagens das cédulas serão variadas, mas todas vão estampar a Cachoeira de Maria Rosa, símbolo do município de Mato Verde, e o escambo, tipo de transação em que um negócio é fechado sem que haja o envolvimento de dinheiro. A nota de V$ 1 terá também a figura de escambo. A de V$ 2, o umbu. A cédula de V$ 5 terá a imagem da rapadura. A de V$ 10 mostrará o algodão. E as notas de V$ 20 fazem referência à pecuária de corte e leiteira.
 
Moeda Pública Local x Moeda Social
O município de Resplendor, no leste de Minas Gerais, foi o primeiro do país a adotar uma moeda pública local: a Ubérrima. No Brasil existem outras iniciativas de moedas sociais, mas são diferentes da Ubérrima e da Verdinha.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.