06/03/2023 às 15h48min - Atualizada em 06/03/2023 às 15h48min

Novo vírus pode roubar seu Pix! Especialista ensina como se proteger

FONTE: Bendev Junior - MF Press Global Gestão geral - [email protected] - FOTO ILUSTRATIVA: Shutterstock
C 
Vírus desvia dinheiro enviado por Pix e já afetou bancos como o Bradesco, Caixa, Nubank e Itaú
 
O Pix é um sucesso desde o seu lançamento, o serviço já foi o responsável pela realização de mais de 26 bilhões de transferências, mas um novo malware (um tipo de vírus) tem acendido o alerta para o uso do serviço.
 
O BrasDex, como o vírus é chamado, foi descoberto em dezembro e já causou prejuízos de milhares de reais - ele infecta dispositivos Android e altera o destinatário do Pix e o valor que seria originalmente enviado. O vírus afetou diversos bancos, como o Bradesco, Caixa, Nubank e Itaú e já fez mais de mil vítimas.
 
De acordo com o programador Bendev Junior, especialista em programação de aplicações web, empreendedor no ramo de desenvolvimento de softwares e Tech Influencer, o vírus não explora falhas no sistema do Pix, e sim vulnerabilidades do próprio celular do usuário, e algumas medidas simples podem ajudar a se proteger.
 
O vírus, após entrar no celular do usuário, identifica os aplicativos bancários instalados e se mantém ‘escondido’, esperando que eles sejam acessados, então ele utiliza o acesso que possui ao dispositivo para alterar as informações da transação. O vírus ainda é capaz de identificar se o chip telefônico do celular é brasileiro, caso não, ele deixa de funcionar. Ou seja, a principal falha de segurança que permite a ação do vírus não vem nem do Pix, nem do aplicativo das instituições financeiras, mas sim do próprio dispositivo, explica.
 
Para evitar esse tipo de problema, é fundamental não abrir links suspeitos recebidos por WhatsApp ou SMS, nunca instalar aplicativos apenas baixados em lojas oficiais, não fornecer acesso total a aplicações suspeitas e sempre ter um antivírus atualizado instalado no seu dispositivo. Esses cuidados já ajudam a proteger bastante desse tipo de malware”, recomenda Bendev Junior.
 
Ao total, aplicativos de 10 instituições financeiras já foram afetados. Caso você caia nesse tipo de golpe, entre em contato com o seu banco para pedir o reembolso, não realize mais transferências pelo dispositivo e procure um técnico especializado para eliminar o vírus.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »