01/03/2023 às 17h12min - Atualizada em 01/03/2023 às 17h12min

Vereadores Lucas Arruda e Tiago Braz cobram ampliação do transporte de vans para deficientes

FONTE E FOTO: Assessoria de Imprensa da Câmara de Poços de Caldas
C 
Na última semana, os vereadores Lucas Arruda (Rede) e Tiago Braz (Rede) se reuniram com representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conpede) e da empresa Floramar, responsável pelo transporte coletivo em Poços. O objetivo foi discutir a ampliação do transporte porta a porta de vans para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.
           
Estiveram no encontro o presidente do Conpede André Luiz Marinho, a vice-presidente Camila Nogueira Fernandes e a Procuradora do Município e também membro do Conselho Dra. Sandra Maria Teixeira Pamplona Quinteiro.
           
De acordo com Lucas Arruda, o transporte acontecia das 06h às 00h até o início da pandemia do coronavírus. “Esse transporte acontecia com três vans e um veículo reserva. Agora, esse horário foi reduzido, acontecendo até as 18h apenas, e não é realizado aos domingos e feriados. Isso reduz drasticamente a mobilidade da pessoa com deficiência, impedindo que ela tenha uma atividade de lazer, frequentar uma faculdade ou um curso. O não cumprimento da forma como era antes faz com que um direito fundamental seja ferido, o direito de ir vir que está na Constituição. O Estatuto da Pessoa com deficiência também garante uma série de direitos e estamos cobrando providências para resolver a situação”, disse o parlamentar.
           
O vereador Tiago Braz destacou que foi uma reunião muito importante, oportunidade em que a empresa Floramar pôde recebes os questionamentos e reivindicações. “Tivemos algumas respostas sobre o que tem sido feito no transporte, principalmente com relação ao transporte porta a porta para deficientes. Eles farão um levantamento para conseguirmos discutir com o município. O que acontece hoje é uma violação de direitos. Agendamos outras reuniões e continuaremos nesta luta”, afirmou.
           
Lucas Arruda declarou que é preciso um diálogo entre as partes envolvidas. “A empresa pediu um prazo para verificar junto ao município, pois é o município que precisa garantir essa manutenção, ficando claro que é falha da administração. Estamos cobrando diálogo entre as partes e parabenizo o trabalho do Conpede, que tem buscado garantir os direitos das pessoas com deficiência”, finalizou.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »