Brand-News Publicidade 1200x90
29/12/2022 às 15h26min - Atualizada em 29/12/2022 às 15h26min

NOTAS RÁPIDAS - 29/12

BRASIL TEM 207,8 MILHÕES DE HABITANTES, MOSTRA PRÉVIA DO CENSO 2022
 
O IBGE divulgou ontem (28) a prévia da população dos municípios com base nos dados coletados pelo Censo Demográfico 2022 até o dia 25 de dezembro, que mostra que o Brasil chegou a 207.750.291 habitantes este ano. A divulgação tem como objetivo cumprir a lei que determina ao Instituto fornecer, anualmente, o cálculo da população de cada um dos 5.570 municípios do país para o Tribunal de Contas da União (TCU). Seguindo um modelo estatístico, o IBGE entrega um resultado prévio do ano de 2022 a partir dos 83,9% da população recenseada.
As informações divulgadas foram entregues ao TCU para fins de cálculo de distribuição do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), feita de acordo com o número de habitantes. A tabela com a prévia da população para cada município será publicada no Diário Oficial da União (D.O.U.). A nota metodológica e as estimativas das populações para os 5.570 municípios brasileiros e para as 27 unidades da federação podem ser consultadas aqui.
 
FONTE: MG-IBGE MG Informa - [email protected]
 
 
 
TV CULTURA TRANSMITE AS POSSES DE LULA E TARCÍSIO DE FREITAS NESTE DOMINGO (1/1)

Neste domingo (1/1), a TV Cultura transmite, ao vivo, as cerimônias de posse do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB), e do governador eleito pelo Estado de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos) e do vice-governador Felicio Ramuth (PSD). Serão exibidos ainda boletins ao longo de toda a programação matinal e vespertina da emissora.
A partir das 9h, diretamente da Alesp, Andresa Boni apresenta a posse dos novos chefes do Estado de São Paulo. E às 14h30, aproximadamente, o jornalista Aldo Quiroga comenta a solenidade de diplomação dos eleitos para a Presidência da República nas Eleições 2022.
 
FONTE: TV Cultura - [email protected]
 
 
 
 
MINAS ULTRAPASSA A MARCA DE 630 MIL VAGAS DE TRABALHO COM CARTEIRA ASSINADA EM QUASE QUATRO ANOS
 
Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na quarta-feira (28/12), referentes ao mês de novembro, mostram a consolidação do aquecimento da economia de Minas Gerais nos últimos quatro anos. O mês registrou 185.845 admissões contra 181.566 desligamentos, um saldo positivo de 4.279 novos postos criados, confirmando a tendência de crescimento pelo décimo mês consecutivo.
De janeiro de 2019 até o mês passado foram criadas mais de 630 mil vagas formais. Somente em 2022, o estado já responde pela geração de 222.823 postos de trabalho com carteira assinada.
“Mais uma vez, os dados do Caged se mostraram positivos. Ao longo do ano, Minas Gerais acumulou mais de 222 mil postos de trabalho no período, acompanhando uma tendência dos últimos quatro anos, mostrando a força no mercado de trabalho mineiro com a criação de empregos na casa de 630 mil. Isso revela um desenvolvimento econômico de Minas, dinamismo no mercado de trabalho também, que apesar da rotatividade, o saldo se mostra positivo. São postos de trabalho sendo criados, pessoas sendo absorvidas no mercado”, explicou o superintendente de Gestão e Fomento ao Trabalho e à Economia Popular Solidária da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social, Marcel Cardoso Ferreira de Souza.
Numa análise por atividade econômica, o setor que liderou a geração de empregos foi o de comércio, com 9.725 novos postos, seguido pelo de serviços (3.359). O grupamento que apresentou maior crescimento no período é composto por três segmentos, que unem comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas; comércio por atacado (exceto veículos automotores e motocicletas) e comércio varejista.
 
 
23% DAS BRASILEIRAS DOS 25 AOS 29 ANOS NÃO PRETENDEM TER FILHOS, DIZ ESTUDO
 
Uma série de mudanças culturais têm sido vistas no mundo, ao longo das décadas, sendo uma delas a desconstrução da maternidade compulsória. Desse modo, é crescente o número de mulheres que optam por não ter filhos. A lista de motivos para essa escolha vai desde a dedicação total à carreira, passando por motivos de ordem sexual ou enfermidades, até simplesmente por a mulher não se identificar com a ideia da maternidade.
A rejeição aos modelos tradicionais de comportamento trouxe até o surgimento de uma nova geração, denominada "NoMos" (abreviação de Not Mothers - Não Mães). E, conforme o mais recente estudo feito pela Famivita, no Brasil, o número de mulheres que não pretendem ter filhos está concentrado na faixa etária dos 25 aos 29 anos, quando 23% apontou não desejar tê-los. Já dos 30 aos 34 anos, esse número foi um ponto percentual menor, com 22%. Entre os homens, o resultado dos que afirmaram não pretender ter filhos foi de 18%. Em contrapartida, entre as que afirmaram planejar ter filhos, 30% respondeu que os planos seriam para os próximos 6 meses.
Relacionado ao tema, é interessante destacar que há 20 anos, a mulher brasileira tinha, em média, 2,9 filhos. Em 2034, esse número será de apenas 1,5 filho, e deve permanecer estacionado por quase três décadas, conforme a Projeção da População do Brasil por sexo e idade para o período 2000/2060, feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Ainda de acordo com o Instituto, desde a década de 1970 a Taxa de Fecundidade no Brasil não para de cair. 
 
FONTE: Oziella Inocêncio - [email protected]
 
 
 
 
MINAS GERAIS É O PRIMEIRO ESTADO A BATER A MARCA DE 4 GW DE GERAÇÃO SOLAR
 
Minas Gerais fez história, na quarta-feira (28/12), ao se tornar o primeiro estado brasileiro a atingir a marca de 4 GW de geração de energia solar fotovoltaica, de acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A conquista inédita evidencia o compromisso de Minas com o incentivo à produção energética por meio de fontes limpas e renováveis.
A marca alcançada inclui contabilização da produção tanto por geração centralizada (que inclui grandes usinas) quanto a geração distribuída (pequenos módulos descentralizados).
Minas Gerais possui, hoje, 100% de seus 853 municípios com ao menos uma unidade de geração de energia solar fotovoltaica. A marca é importantíssima para entender a posição do estado como referência nacional no setor, sobretudo em um contexto de busca pela manutenção do equilíbrio ambiental e de corrida para zerar as emissões líquidas de gases de efeito estufa.
Vale destacar, ainda, o papel fundamental do Projeto Sol de Minas, do Governo do Estado, que visa expandir a produção de energia solar fotovoltaica por meio de diversas frentes de atuação. 
 
FONTE: SEC.GERAL Superintendência de Imprensa - [email protected]
Link
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.