18/11/2022 às 14h36min - Atualizada em 18/11/2022 às 14h36min

Grupo Corpo apresenta o espetáculo Gira nesse fim de semana em Campos do Jordão

FONTE E FOTO: Bruna Melo - [email protected] - FOTO: José Luiz Pederneiras
c 
Totalmente gratuitas, as duas apresentações acontecem no sábado (19) e no domingo (20), no palco do Auditório Claudio Santoro, pela Série "Arte na Primavera - Campos: Florada Cultural"
 
A grande atração cultural de Campos do Jordão (SP), nesse fim de semana, é o espetáculo Gira, do renomado Grupo Corpo, dentro da programação da Série “Arte na Primavera - Campos: Florada Cultural”, uma realização do Auditório Claudio Santoro, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerida pela ACAM Portinari. Serão duas apresentações, com ingressos gratuitos, que acontecerão no sábado (19), às 19h, e no domingo (20), às 16h, ambos no Auditório Claudio Santoro. É necessário reservar a entrada pelo www.sympla.com.br/artenaprimavera.
 
DANÇA E RELIGIÃO - Os ritos da umbanda - a mais cultuada das religiões nascidas no Brasil, resultado da fusão do candomblé com o catolicismo e o kardecismo, e patrimônio imaterial do Rio Janeiro desde novembro passado – são a grande fonte de inspiração da estética cênica de Gira, que tem coreografia de Rodrigo Pederneiras, cenografia de Paulo Pederneiras, iluminação de Paulo e Gabriel Pederneiras e figurinos de Freusa Zechneister.
Exu, o mais humano dos orixás - sem o qual, nas religiões de matriz africana, o culto simplesmente não funciona - é o motivo poético que guia os onze temas musicais criados pela banda paulistana, Metá Metá, para Gira.
Mergulhar no universo das religiões afro-brasileiras para se alinhar ao tema proposto pelo Metá Metá foram as primeiras providências dos criadores do Grupo Corpo. Mas engana-se quem pensa que vai assistir a uma representação mimética dos cultos afro-brasileiros. Alimentado pela experiência em ritos de celebração tanto do candomblé quanto da umbanda (em especial as giras de Exu), Rodrigo Pederneiras (re)constrói o poderoso glossário de gestos e movimentos a que teve acesso.
Concebido como uma instalação, o não-cenário assinado por Paulo Pederneiras cobre com o mesmo tule negro os corpos dos bailarinos sempre que estão fora da cena, transformando-os em éter, e as três paredes da caixa-preta, criando uma ilusão quase espectral de infinito.
Nos figurinos, Freusa Zechmeister adota a mesma linguagem para todo o elenco, independente do gênero: torso nu, com a outra metade do corpo coberta por saias brancas de corte primitivo e tecido cru.
 
AGENDA COMPLETA - Ao todo, a Série “Arte na Primavera - Campos: Florada Cultural” terá 11 espetáculos de 10 atrações, entre setembro e novembro de 2022, no Auditório Claudio Santoro, no Parque João Doria Capivari e no Parque da Lagoinha.
Neste mês de novembro, a programação da Série é gratuita, uma oportunidade para o público prestigiar, de forma aberta, atrações de música, dança e teatro, na estação primaveril da cidade mais alta do país.
Além do espetáculo Gira, do Grupo Corpo (19/11, sábado, às 19h e 20/11, domingo, às 16h) a programação ainda terá a peça A Lista, com Lilia Cabral e Giulia Bertolli (26/11, sábado, às 19h), encerrando a Série.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.