04/11/2022 às 16h28min - Atualizada em 04/11/2022 às 16h28min

Memória Histórica - Sesquicentenário de Poços de Caldas (1872 – 2022)

Foto: Arquivo / Reprodução
C 
Passaram-se várias décadas para que se consolidasse os poços de caldas como vila e cidade de Poços de Caldas
 
Várias datas poderiam ser consideradas como da fundação de Poços de Caldas:
1874 -  Criação da Paróquia de Nossa Senhora da Saúde das Águas de Caldas;
1879 - O Distrito de Nossa Senhoras das Águas de Caldas é elevado à condição de Freguesia, passando a fazer parte do Município de Nossa Senhora do Patrocínio de Caldas;
1885 - Criação do Curato de Poços de Caldas, cujo primeiro capelão foi o padre José Joaquim de Sena Freitas;
1888 - A Freguesia de Nossa Senhora da Saúde das Águas de Caldas é elevada à categoria de Vila, com a denominação de Vila dos Poços de Caldas;
1890 - Efetivada a criação da Vila de Poços de Caldas e nomeação dos seus Intendentes, ao mesmo tempo que era instalada a Vila;
20 de janeiro de 1917, quando foi instalada a Comarca de Poços de Caldas.
 
Com essa variedade de datas, chegamos neste 6 de novembro de 2022, ano em que comemoramos o Sesquicentenário do marco inicial da fundação de Poços de Caldas.
 
Passaram-se várias décadas para que se consolidasse os poços de caldas como vila e cidade de Poços de Caldas.
No ano de 1872, através de relatórios dos estudiosos da época, o médico Joaquim Floriano de Godoy, presidente da Província de Minas Gerais, foi informado da importância das águas termais sulfurosas dos Campos das Caldas. Para tanto, fez a desapropriação da área com o objetivo de iniciar a urbanização e povoamento da localidade que era, então, distrito de Caldas, indenizando o proprietário major Joaquim Bernardes da Costa Junqueira - que pela importância da iniciativa, abdicou de qualquer pagamento e fez a doação de 40 alqueires das suas terras ao governo mineiro para a construção da cidade.
 
No dia 06 de novembro de 1872, na Fazenda do Barreiro, foi assinada a escritura que selou a doação.
Historiadores locais, entre eles Carlos Érrico Neto, escolheram a data de 06 de novembro de 1872 como sendo o marco da fundação de Poços de Caldas, prestando assim homenagem ao major Joaquim Bernardes da Costa Junqueira.  
 
Destacamos que foram os vereadores de 1951 a 1954 Adhemar de Souza e Silva, Antônio de Oliveira Fabrino, Carlos Érrico Neto, Cornélio Tavares Hovelacque, Edmundo Gouvêa Cardillo, Frederico Pardini, João Eugênio de Almeida, José Ayres de Paiva, José Francisco Tepedino, José Remígio Prezzia e Sebastião Thomaz de Oliveira que criaram a lei sancionada pelo prefeito sob o nº 369 com os seguintes dizeres:
“A Câmara Municipal de Poços de Caldas decretou e eu sanciono a seguinte lei:
Art. 1º Fica o sr. Chefe do Executivo autorizado a instituir a data de 6 de novembro de 1872 como dia da fundação da cidade de Poços de Caldas.
Art. 2º Para as comemorações cívicas de aniversário fica decretado feriado municipal o dia 6 de novembro.
Art. 3º Revogadas as disposições em contrário, a presente lei entrará em vigor na data da sua publicação.
Câmara Municipal de Poços de Caldas, 3 de junho de 1954. Martinho de Freitas Mourão - Prefeito Municipal”
 
O Almanaque Sul Mineiro, de 1874, traz a informação de que Poços de Caldas tinha 34 casas, 2 sobrados e 66 cabanas cobertas de capim. Algumas ruas e praças, poucas casas comerciais, uma capela, um cemitério e 1 sala para aulas de ensino primário. Esse era o quadro que resumia o processo inicial da formação do núcleo urbano.
150 anos depois, com mais de 170 mil habitantes é o 15º município mais populoso do Estado; primeiro entre os inúmeros municípios do sul de Minas e o maior em número de eleitores. Sua área é de 546.000 km2 e o IDHM de 0,779.
 
Nesses longos anos - tendo a sua origem e desenvolvimento centrados nas inesgotáveis águas termais que são valorizadas em qualidade tanto quanto aquelas existentes na França, na Alemanha, Portugal e, principalmente, em outras cidades brasileiras -, Poços continua sendo um lugar de excelência e qualidade para se viver, mantendo sua vocação para o Turismo.
 
 
Bibliografia:
Megale, Nilza Botelho. Memórias Históricas de Poços de Caldas, Ed. SulMinas, Poços de Caldas,MG, 2002
Oliveira, Nirlei Maria e Canedo Ramiro. A História da Câmara Municipal de Poços de Caldas - Tomo II 1947-2009, Poços de Caldas, MG, 2012
Ottoni, Homero Benedicto. Poços de Caldas, Editora Anhambi, Sp, 1960
 
 
Por Hugo Pontes - Professor, poeta e jornalista
E-mail: [email protected]

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.