15/03/2021 às 14h55min - Atualizada em 15/03/2021 às 14h55min

A BRONCA DO CRIPA

Marcos Cripa - Jornalista/ mcripa@uol.com.br
Figura meramente ilustrativa - Reprodução Google
.
Inércia e pressão
 
O executivo municipal de Poços de Caldas só atua sob pressão e é incapaz de trabalhar com planejamento. Em dezembro último desdenhou a hipótese de comprar vacinas diretamente do Instituto Butantan (observe que era discutida somente uma hipótese) e agora corre atrás para tentar colocar mais imunizantes à disposição da população. Adotou nova posição porque foi pressionado, pelos partidos aliados, pelos vereadores e pela população, a aderir ao consórcio formado pela Confederação Nacional de Prefeitos para a compra direta da vacina contra a Covid-19. O estranho é que Sérgio Azevedo tem como secretário de Saúde o médico e ex-deputado constituinte Carlos Mosconi, que contribuiu significativamente para a criação do SUS e dedicou parte da sua vida à saúde pública. Estranho essa inércia. 
 
Lavando as mãos
 
Há que se lembrar que o prefeito, em dezembro de 2020, optou por aguardar o governo federal definir e executar a vacinação nacional mesmo percebendo a paralisia do ministério da Saúde. Apostou em um governo negacionista e perdeu. Na verdade, perdemos todos nós. Lá em dezembro, quando o prefeito participava do programa Boca Boa, da Master Web Rádio, perguntei se ele pretendia buscar alternativas e tentar comprar a vacina diretamente do Instituto Butantan, como estavam propondo outras prefeituras, e a resposta não poderia ter sido mais psdbista, bem ao estilo da sigla partidária que ele representa. Ele optou por lavar as mãos, lembrando Pôncio Pilatos.
 
Eis a pergunta: “Prefeito, diante da inexistência de uma clara política de vacinação por parte do executivo federal, o Sr. não acredita que esse é o momento (dezembro de 2020) de o seu governo ser propositivo e tentar comprar a vacina diretamente do Instituto Butantan, como estão buscando fazer a maioria dos estados e mais de mil prefeituras?” Acrescentei ainda que a compra poderia ser realizada utilizando-se recursos do DME. O apresentador do programa, Silas Lafaiete, foi além e indicou a existência de R$ 20 milhões oriundos do ministério da Saúde, já depositados na conta da prefeitura, que poderiam ser utilizados na compra.
Resposta: “Não descartamos essa hipótese, mas essa é uma responsabilidade do governo federal. Não cabe à cidade (município) correr atrás”.
 
 
Prioridade máxima
 
Como assim, não cabe ao município providenciar vacinas? Cabe sim, prefeito, mesmo correndo o risco de não avançar na questão é preciso esgotar todas as possibilidades. Essa busca por vacinas, no momento, é uma das principais funções do executivo. Pintar faixas de trânsito, meios-fios (guias) e parquinhos são ações importantes, mas de simples decisão; o difícil é assumir riscos em nome da população. Alguns agentes públicos sabem liderar, outros não. O ocupante do executivo poços-caldense enquadra-se na segunda categoria.
 
Canto de lamento
 
Dediquei o texto desta segunda-feira, dia 15 de março, a falar sobre a vacina porque marca um ano da primeira morte da Covid-19 no Brasil. Logo serão 300 mil, e logo serão 200 vidas perdidas em nossa cidade. Não são apenas números. Envolvem famílias inteiras a lamentar a perda de um ente querido e a falta de uma política eficaz de vacinação. Nesta segunda-feira, foi divulgada pela Associação Médica Brasileira (AMB), Carta dos Médicos à Nação, na qual traz um diagnóstico do avanço da pandemia e das insuficiências do sistema de saúde, além de uma série de orientações sobre prevenção e cuidados para a população. E com a participação de todas as sociedades de especialidades reconhecidas no Brasil, da AMB e de suas 27 federadas estaduais, a AMB oficializou também a criação do Comitê Extraordinário de Monitoramento Covid-19 (CEM COVID_AMB), responsável por avaliar permanentemente a pandemia em todo o território nacional e as ações dos órgãos responsáveis pela saúde pública.
Integra da Carta: https://amb.org.br/wp-content/uploads/2021/03/manifesto-CEM-COVID-AMB-15mar21.pdf
 

 
*O Brand-News não se responsabiliza por artigos assinados por nossos colaboradores.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp