Brand-News Publicidade 1200x90
17/10/2022 às 15h14min - Atualizada em 17/10/2022 às 15h14min

Cidades do Sul de Minas geraram 635 postos de trabalho temporário em agosto

FONTE: Ana Cunha - Jornalismo e Conteúdo - [email protected] - FOTO: Reprodução Google
C 
Setor de Produção de Bens e Serviços Industriais foi o que mais contratou na modalidade, com 316 admissões no total; comércio e agropecuária também contratam
 
As cidades da região Sul de Minas Gerais geraram, em agosto passado, 635 postos de trabalho temporário, empregando 318 homens e 317 mulheres, na modalidade, de acordo com dados do CAGEG - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. O setor de Produção de Bens e Serviços Industriais, que reúne Indústria Extrativa e de Construção Civil, Transformação de Metais e de Compostos, foi o que mais gerou admissões: 316 no total. 
As vagas na modalidade de trabalho temporário representam cerca de 5,2% do total de admissões no período, e valem para as cidades de Itajubá, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Caxambu, Varginha, São Tomé das Letras, Passos, Extrema, Carrancas, Aiuruoca e Monte Sião. Juntas, as cidades somaram 12.233 pessoas empregadas. 
 
Além da indústria, outros setores da economia também utilizam essa modalidade de contratação, como é o caso do comércio e da agropecuária. “A região do Sul de Minas é conhecida pela cultura do café e que necessita de mão de obra para atender a demanda durante o período da safra, o que faz com que dentro da cadeia produtiva do café, existam diversas oportunidades para trabalhadores temporários”, explica Leonardo Bonafé, gerente da Employer, agência de Recursos Humanos.
 
Ainda de acordo com o executivo, com a contratação nessa modalidade, as empresas têm suas necessidades atendidas e mais pessoas conseguem se manter ativas no mercado de trabalho.  De acordo com Bonafé o modelo é vantajoso para ambos os lados. 
“Para o contratante porque permite, entre outras, mais agilidade na obtenção de mão de obra, velocidade de adaptação às variações de mercado e redução de ociosidade de pessoas e instalações. Para o trabalhador porque é uma porta de entrada à contratação efetiva, permite o ganho de experiência, além da geração de renda.” 
Ele enfatiza, ainda, que o trabalhador temporário tem, basicamente, os mesmos direitos dos demais trabalhadores efetivos como: remuneração, férias proporcionais, repouso semanal remunerado, FGTS, seguro contra acidentes de trabalho, direitos previdenciários, entre outros. “Para quem está procurando uma oportunidade de se inserir no mercado é uma ótima opção”, finaliza. 
 
DADOS NACIONAIS - De acordo com a ASSERTTEM - Associação Brasileira do Trabalho Temporário, o trabalho temporário pode ser visto como um termômetro da economia brasileira, já que a modalidade tem ganhado destaque por ser uma opção formal de contratação rápida, flexível e que garante segurança econômica e jurídica tanto para os trabalhadores quanto para as empresas.  
No mês de agosto, foram geradas 248.560 vagas temporárias em todo o Brasil, considerado o melhor resultado desde 2014. Em relação ao mesmo período de 2021, houve um aumento de 25,8% nas contratações.  
A expectativa é que o número de contratados cresce no último trimestre de 2022, impulsionado pelas datas sazonais como Black Friday e Natal

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://brandnews.com.br/.