17/08/2022 às 15h10min - Atualizada em 17/08/2022 às 15h10min

NOTAS RÁPIDAS - 17/08

PREFEITURA ABRE NOVA CONCORRÊNCIA PARA LOTES COMERCIAIS NA ZONA SUL
 
A Prefeitura publicou novo edital de concorrência para alienação de bens imóveis de propriedade do município, na zona sul da cidade. Serão licitados 23 lotes para exploração comercial nos bairros Vila Matilde e Jardim Esperança. Os terrenos variam de 346 m2 a 651 m2. Os lances iniciais vão de R$ 138.600,00 a R$ 260.640,00, de acordo com a área.
O aviso do Edital de Concorrência 010-SMAGP/2021 foi publicado na edição nº 1010 do Diário Oficial do Município, no dia 29 de julho. Podem participar da concorrência pessoas físicas ou jurídicas que preencham os requisitos do edital. Servidores do município, bem como seus parentes até segundo grau, não podem participar do processo.
Os interessados podem retirar cópia do Edital no Departamento de Suprimentos da Prefeitura, localizado à rua Pernambuco, 265 ou no site da Prefeitura, na seção Editais. As propostas devem ser protocoladas até o dia 31 de agosto, no horário das 12h às 17h30.
O julgamento das propostas será efetuado por Comissão de Licitação nomeada através de portaria especialmente para este fim, sendo declarado licitante vencedor o interessado que apresentar a Maior Oferta, a partir do preço mínimo estipulado no edital.
Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (35) 3697-2290.
 
 

CONCESSÃO DE ÁGUAS MINERAIS É ALVO DE CRÍTICAS
 
A possibilidade de privatização de parques e fontes de água das estâncias hidrominerais mineiras foi criticada por lideranças regionais durante a audiência da Comissão de Administração Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realizada na terça-feira (16/8).
A Codemge, empresa estatal que administra os direitos minerários de Araxá (Alto Paranaíba) e outras seis cidades do Sul de Minas - Poços de Caldas, Caxambu, Cambuquira, Lambari, Caldas e Conceição do Rio Verde - abriu duas consultas públicas para concessão desses ativos à iniciativa privada.
Porém, vereadores e representantes de entidades da sociedade civil reclamam que as populações desses municípios não foram efetivamente ouvidas. Eles manifestaram o temor de que a exploração privada das águas minerais possa comprometer a sua conservação, ameaçando o turismo nas estâncias hidrominerais.

FONTE: Assessoria de Imprensa da ALMG
 
 
 
ATRASOS E CANCELAMENTOS ATÉ JULHO ATINGEM 5,2 MILHÕES E JÁ SUPERAM 2021, APONTA LEVANTAMENTO DA AIRHELP
 
Os atrasos e cancelamento até julho já atingiram 5,2 milhões de passageiros nos aeroportos do país, o que presenta 1 em cada 7 passageiros transportados no período. O volume já supera os 4,5 milhões afetados por esse mesmo tipo de ocorrência em todo o ano passado, representando 1 em cada 9 passageiros transportados no ano passado. Os dados fazem parte de levantamento da AirHelp, líder mundial na defesa dos direitos dos passageiros de companhias aéreas.
Nos sete primeiros meses deste ano as companhias aéreas brasileiras transportaram 41,2 milhões de passageiros. O volume contabilizado ultrapassou a marca consolidada de 2021, quando 40,6 milhões de passageiros foram transportados nos aeroportos brasileiros.
Atrasos superiores a 4 horas afetaram 95,3 mil passageiros de janeiro a julho deste ano, contra 19,9 mil no mesmo período do ano anterior, uma alta de quase 5 vezes, impactando um em cada 215 passageiros. Foram 700,9 mil passageiros que tiveram voos cancelados no mesmo período contra 226,4 mil de janeiro a julho de 2021, atingindo um em cada 29 passageiros. Este tipo de ocorrência, quando não provocado por questões meteorológicas ou de força maior, pode originar pedidos de indenização às companhias aéreas.
Segundo levantamento da AirHelp, do total de passageiros afetados, 640 mil teriam direito à indenização pelos transtornos com atrasos e cancelamentos, ou seja, 1 em cada 51 passageiros é elegível a pleitear compensação financeira às companhias aéreas no período analisado. No ano passado foram 246 mil (1 em cada 83).
 
FONTE: Conteúdo Comunicação
 
 
 
MUDANÇAS NA CIDADE DO ROCK: PALCO SUPERNOVA GANHA NOVO LOCAL
 
Rock in Rio Brasil 2022 nem começou e o espaço Supernova já bombou. Por conta do line-up lotado de talentos e atrações, e seus números, alguns na casa dos milhões, seja em streaming ou nas redes sociais, o palco - que tem curadoria do Filtr Brasil em parceria com o maior festival de música e entretenimento do mundo - ganhou um novo local dentro da Cidade do Rock. Agora os shows vão acontecer logo após a Rota 85, no caminho para o New Dance Order, onde o Supernova contará com mais espaço para dar conta do público, que já lotou o espaço original na edição de estreia em 2019.
A decisão levou em conta, por exemplo, o número de seguidores, como os de Lil Whind, alter-ego de Whindersson Nunes, que possui 58 milhões só no Instagram, e Priscilla Alcantara, com 3,5 milhões de inscritos no seu canal de YouTube. E tem ainda os campeões no Spotify: MC Poze e seus cerca de 6 milhões de ouvintes mensais, e o fenômeno Jovem Dionisio, que alcançou a marca de 58 milhões de views com o hit “Acorda Pedrinho”.
 
FONTE: Armazém Comunicação - Ana Paula Nunes de Souza 
 
 
 
GOVERNO DE MINAS ASSINA CONTRATO DE CONCESSÃO DO MINEIRINHO
 
O Governo do Estado de Minas Gerais e o consórcio DMDL/Progen assinaram ontem, 16/08, o contrato de concessão do Estádio Jornalista Felippe Drummond, mais conhecido como Mineirinho. Localizado no tradicional Conjunto Arquitetônico da Pampulha e inaugurado em 1980, o local receberá aproximadamente R$ 150 milhões em investimentos no prazo de 35 anos, tornando-o um complexo multiuso com infraestrutura de ponta, quadra poliesportiva aprimorada, espaço para eventos, hotel, restaurantes e centro comercial.
Os representantes do governo e do consórcio apresentaram ontem as bases do projeto em coletiva de imprensa. Representando o governo estadual, o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (SEINFRA), Fernando Marcato, destacou a importância da concessão para que a população mineira resgate um dos mais importantes espaços poliesportivos e culturais de Belo Horizonte. “Queremos que o concessionário use de sua capacidade, criatividade e relacionamento com mercado para ampliar o uso do espaço, garantindo a geração de receita, impostos e bem-estar para a população mineira”.
De acordo com ele, o acordo representará de imediato uma economia de pelo menos R$ 2,5 milhões mensais para o Estado, utilizados na manutenção do espaço. “Deveríamos estar gastando R$ 4,5 milhões para conservar o Mineirinho, recurso este que não estávamos empregando da forma que seria o ideal”, garantiu Marcato.
 
FONTE: Etc. Comunicação Empresarial - Luciana Sampaio
Link
Comentários »