16/08/2022 às 15h58min - Atualizada em 16/08/2022 às 15h58min

Mais de 1,4 milhão de negócios encerraram as atividades em 2021 no país

FONTE E FOTO: DINO - [email protected]
C 
Cerca de 90% das empresas que fecharam as portas são de pequeno e médio porte. Má gestão e impacto da pandemia são as principais causas
 
As portas se fecharam definitivamente para pouco mais de 1,4 milhão de empresas brasileiras em 2021. Os dados do painel “Mapa de Empresas”, do Ministério da Economia, apontam que do total, 92% eram pequenos negócios. No período de janeiro a junho deste ano as empresas que afirmaram ter decretado falência já chegam a 830 mil. Quase 200 mil a mais se comparado ao mesmo período do ano passado, conforme o levantamento do governo.
 
Embora os impactos decorrentes da pandemia ainda sejam visíveis em muitos setores econômicos, o fato é que a ausência de um bom planejamento e a má gestão operacional e financeira são considerados os principais motivos que afetam a saúde dos negócios. Com a crise sanitária estabilizada, o cenário político-econômico tem sido bem avaliado pelo empresariado brasileiro. Ainda que o Índice de Confiança Empresarial (ICE) divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) tenha registrado uma leve queda de 0,3 ponto percentual em julho em relação a junho, o estudo considera a diferença pequena para sinalizar uma mudança de tendência no setor, já que os números registraram alta nas expectativas durante quatro meses seguidos.
 
É com essa perspectiva de retomada do crescimento que as empresas devem se atentar para dar um salto na inovação com relação à administração de seus negócios, com investimento em ferramentas de gestão que agreguem maior desempenho e menos custos.
 
Uma das ferramentas que contribui para manter o empreendimento num alto grau de competitividade e com foco nos objetivos estratégicos é a utilização de Key Performance Indicator (KPI), conhecido como indicador de performance. De acordo com o gerente de Operações e Engenharia, Irineu Benelli Júnior, o uso dessa ferramenta em ambientes e situações complexas de gerenciamento - como o momento atual que estamos atravessando, com a escassez de insumos e componentes na cadeia de suprimentos, por exemplo - tem se tornado cada vez mais importante para o atendimento de um mercado que demanda por prazos de produção reduzidos e baixo custo.
 
“O gerenciamento no segmento de projetos especiais, equipamentos customizados e de produção MTO (Make to Order) por si só já são de alta complexidade, e quando somadas com situações não planejadas como essas demandam um dinamismo ainda maior para a gestão. E para isso, é importante uma tomada de decisão ágil e assertiva para atingimento dos objetivos corporativos, afinal, são inúmeras as variáveis que surgem todos os dias nesse ambiente de concepção e construção de um novo produto e que podem comprometer os resultados”, explicou.
 
Para o especialista, o KPI é como se fosse uma bússola que direciona os gestores em tomadas de decisão mais ágeis, assertivas e transparentes. “São métricas de monitoramento estabelecidas dentro do fluxo de trabalho, que suportam no direcionamento das operações e pessoas em relação aos objetivos e metas traçadas na fase de planejamento de um projeto, programa de melhoria e no processo de planejamento estratégico de uma empresa ou de uma área em específico”, detalha ele, que acumula 18 anos de experiência na área. 
 
Website: https://www.linkedin.com/in/irineu-benelli-61a66327/

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »