11/08/2022 às 15h44min - Atualizada em 11/08/2022 às 15h44min

Em MG, 133 mil novos graduados chegam ao mercado de trabalho em 2022

FONTE: Rafaela Marcos - [email protected] - FOTO: Divulgação
C 
Formação superior tem impacto positivo na remuneração, revela estudo
 
A construção de uma sociedade funcional, certa de seus direitos e deveres, está diretamente ligada à educação. Mais do que um passo rumo ao conhecimento básico, a educação é a ferramenta para o desenvolvimento e impulsiona a formação profissional de novas gerações que, ética e moralmente estruturadas, transformam o mundo. 
 
Dia 11 de agosto é comemorado o Dia do Estudante. A data, que celebra a criação das duas primeiras faculdades do Brasil, marca o ponta pé inicial para a valorização do ensino superior na formação de profissionais qualificados.  
 
Um levantamento realizado entre agosto e outubro de 2021 pelo Instituto Semesp - responsável por traçar o Mapa do Ensino Superior no Brasil - elucida o impacto positivo que o ensino superior provoca na vida de quem busca o sucesso profissional e almeja um crescimento salarial. Os dados, obtidos após pesquisa realizada com 8.500 egressos e alunos de graduação do país, apontam que a quantidade de pessoas que recebem remuneração acima de R$ 5 mil teve crescimento de 135% após a conclusão do ensino superior. 
 
Já entre os estudantes que recebiam até R$ 1.000 mil reais mensais antes de terminar o curso, pelo menos 91,4% apresentaram rendimento superior a esse valor após a conclusão. No caso daqueles que recebiam entre R$ 2.000 e R$ 3.000 mil antes do encerramento do curso, cerca de 66,8% avançaram para um rendimento acima de R$ 3.000 mil. O mesmo levantamento mostra, ainda, que antes de concluir o curso de nível superior, apenas 2,9% recebiam acima de R$ 5.000 mil. Já após a conquista do diploma, esse percentual saltou para 26%.   
 
Letícia Anselmo, diretora da Faculdade Pitágoras, salienta de que forma a educação é ferramenta de transformação na vida das pessoas. “A educação permite que o indivíduo conheça melhor seu papel na sociedade e ter melhor acesso a empregos, renda e consequentemente poder de consumo, o que acaba gerando uma transformação social, não só a nível individual, mas também no coletivo.”    
 
Em Minas Gerais, 133 mil alunos devem concluir o ensino superior nas redes pública e privada, até o final de 2022. Dados do Instituto Semesp indicam que destes, 89.470 foram no modo presencial e 43.563 no modo EAD. “Transformar a vida das pessoas por meio da educação é realizador, mas o caminho ainda é longo, temos um número grande de alunos que terminam o ensino médio e não tem acesso ao ensino superior e, também, aqueles que nem chegam a terminar o ensino médio. Para que todos tenham oportunidades iguais de acesso ao ensino superior são necessárias políticas públicas no âmbito do ensino básico, médio e superior”, explica Letícia.  
 
Outro dado que reforça o aumento de graduados e a importância dessa tendência é que, no Brasil, 69% dos egressos do ensino superior conseguem ingressar no mercado de trabalho após um ano da formação. É o que aponta uma pesquisa da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), realizada com cerca de 2 mil pessoas que concluíram a graduação entre julho de 2020 e junho de 2022; mostrando que destes, 48,82% estavam em ocupações formais; 10,86% trabalhavam como autônomos ou profissionais liberais e 2,77% eram empresários. Entre os bacharéis e tecnólogos, o aproveitamento no mercado de trabalho foi mais significativo: 70% e 69%, respectivamente, de acordo com o levantamento. 
 
O Dia do Estudante é uma das datas mais importantes do Ensino Superior, pois reconhece e celebra a dedicação e a motivação dos futuros profissionais, que são a representação de um mercado de trabalho cada vez mais qualificado. “Existem doutores que são eternos estudantes, sempre em busca de novos conhecimentos e descobertas. Seja qual for a idade e o nível, todo conhecimento e toda educação devem ser valorizados e reconhecidos. Por isso, desejamos aos discentes que nunca se cansem de buscar aprimoramento, pois ele abre portas, expande a mente e possibilita novos voos”, conclui a diretora da Pitágoras.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »