03/08/2022 às 16h00min - Atualizada em 03/08/2022 às 16h00min

Especialista orienta como usar equipamentos de forma racional para reduzir conta de luz

FONTE E FOTO: Ideal H+K Strategies
C 
Alternativas simples garantem economia e ajudam a equilibrar o orçamento familiar
 
O valor da conta de luz é um tema presente nos lares do Brasil. É o que aponta a pesquisa realizada em novembro de 2021, pela Inteligência em Pesquisa e Consultoria (IPEC). Os dados mostram que 90% dos entrevistados dizem que a alta impactou ‘muito’ ou ‘um pouco’ no dia a dia da família. E diante do novo reajuste, divulgado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), os consumidores começam a pensar em alternativas de fontes de energia, como a solar, ou métodos simples para economia no orçamento mensal.
 
De acordo com o coordenador dos cursos engenharia da Faculdade Pitágoras, professor Carlos Eduardo Brito, alguns hábitos e técnicas podem ser adotadas pelos usuários. “Consumir de forma racional pode gerar uma boa redução no custo final da conta de energia. É necessário buscar métodos que garantam a economia, como pequenas mudanças ou aquisição de equipamentos mais eficientes, lembrando que o investimento inicial se paga com a redução progressiva do valor da fatura de energia”, orienta.
 
O profissional orienta que medidas simples devem ser observadas no momento de adquirir um novo aparelho. “Algumas pessoas fazem compras por impulso ou por recomendação do vendedor, mas é preciso conhecer e adequar a potência para não gastar energia com a finalidade de fazer o produto funcionar. Dê preferência para produtos com certificado do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (PROCEL). Sendo que os selos com classificação ‘A’, são considerados mais eficientes e ainda ajudam o meio-ambiente” afirma.
 
Entre as formas de economizar energia, Brito destaca que é preciso atenção com os eletrodomésticos. “Em algumas residências, a geladeira pode representar até 30% da conta de energia, e normalmente é o eletrodoméstico que tem o custo mais alto de utilização, por isso, é importante adotar práticas como verificar se a borracha da geladeira apresenta boa vedação. Outro vilão doméstico é o chuveiro, nesse caso, o recomendado é diminuir o tempo de banho e a instalação deve ser realizada por um profissional”, pontua.
 
Para usar a energia de maneira conscientemente, o coordenador indica que, se possível, deve dar preferência a ventiladores. “Esse equipamento é mais econômico e pode consumir até 80% a menos em potência (watts) do que um ar-condicionado de 7.500 BTUs ou 2.197 watts. Caso opte pelo ar-condicionado, mantenha o filtro do mecanismo sempre limpo e evite usar durante o dia”, orienta o professor.
 
Para reduzir o consumo, o coordenador destaca que pequenas atitudes devem ser consideradas, como avaliar se as ligações dos eletrodomésticos estão corretas. “Dispositivos em stand-by podem representar até 12% do consumo total do equipamento. Não é recomendado ligar 2, 3 ou 4 aparelhos em um benjamim, isso também produz efeito joule, quando a energia elétrica se transforma em calor, e aumenta a possibilidade de incêndios”, finaliza.
 
ENERGIA SOLAR - De acordo com a pesquisa do IPEC, 5% dos brasileiros têm buscado por fontes renováveis para evitar os aumentos da conta de luz. A energia pode ser aproveitada de forma fotovoltaica ou térmica. Por ser considerada uma fonte limpa, a energia solar é uma das fontes alternativas mais promissoras para obtenção energética. Para Brito, a escolha representa uma opção para reduzir os gastos com a energia. “A instalação é rápida e não é necessária a realização de grandes intervenções na construção. O sistema em poucos meses retorna o valor do investimento”, conclui.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp