19/04/2022 às 17h13min - Atualizada em 19/04/2022 às 17h13min

Sem paralisar eletivas, Santa Casa de Poços apoia campanha “Chega de Silêncio”

FONTE E FOTO: Assessoria de Imprensa da Santa Casa
c 
Realizada por mais de mil hospitais do país nesta terça-feira, a campanha promovida pela Federassantas teve como objetivo atrair olhares para a crise financeira enfrentada pelo setor filantrópico
 
Através de seu superintendente, Ricardo Sá, a Santa Casa de Poços de Caldas manifestou apoio à campanha intitulada “Chega de Silêncio”, promovida pela Confederação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos (CMB), com o objetivo de atrair olhares para a crise financeira enfrentada pelo setor filantrópico.
Nesta terça-feira (19), mais de mil hospitais filantrópicos suspenderam os atendimentos eletivos não urgentes por 24 horas com o objetivo de chamar atenção para a situação crítica dos hospitais filantrópicos no país. De acordo com a CMB, nos últimos seis anos, 315 hospitais filantrópicos foram fechados devido à crise financeira. Situação que se agravou com a pandemia da Covid-19, que elevou a demanda e os custos, fazendo com que a dívida do setor superasse a marca de R$ 20 bilhões. Um aporte emergencial de R$ 2 bilhões foi anunciado pelo Governo Federal em maio do ano passado - mas até o momento, não foi efetivado.
 
Ricardo Sá, em nome da Irmandade, manifesta todo o apoio à causa, mas explica porque a Santa Casa de Poços não aderiu à suspensão das cirurgias eletivas. “A Santa Casa apoia integralmente tudo aquilo que a Federassantas anuncia a respeito dos prejuízos que todas as Santas Casas e hospitais filantrópicos estão tendo. Apoiamos a necessidade de aporte de recursos do Governo Federal para cobrir o rombo que todas as Irmandades sofreram durante a pandemia da Covid-19, que abalou financeiramente todos os hospitais filantrópicos do país. Entretanto, apesar de todo apoio que damos à Federassantas, a Santa Casa de Poços não vai fazer nenhuma paralisação de cirurgias eletivas, pois sabemos que há muitas pessoas precisando delas. As cirurgias eletivas ficaram paralisadas por dois anos, as filas de espera ficaram imensas e sabemos a quantidade de pessoas que estão precisando dessas cirurgias. Então, da mesma forma que somos solidários às intenções e ações da Federassantas, também somos solidários à população. Portanto, a Santa Casa de Poços não fez nenhuma paralisação ou redução de suas internações e cirurgias eletivas, mas presta todo o apoio à campanha”, finaliza o superintendente.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp