02/03/2022 às 13h37min - Atualizada em 02/03/2022 às 13h37min

NOTAS RÁPIDAS - 02/03

MUNICÍPIOS RETOMAM O TURISMO
 
O Lago de Furnas atingiu a maior cheia desde junho de 2016. Com a melhoria no reservatório, representantes de 14 cidades ao redor e de outros municípios do sul de Minas se reuniram para definir estratégias para a volta do turismo. Dados oficiais do Operador Nacional do Sistema Elétrico mostram que o Lago de Furnas chegou ao volume útil de 78,83%, o nível está a 764,9 metros acima do nível do mar. Com o reservatório mais cheio, as cidades já têm se articulado para a retomada do turismo na região. “A intenção é integrar, não existe turismo de um município só”, disse a presidente do Circuito do Lago de Furnas, Thayse Castro.
 
FONTE: Sindijori-MG / Gazeta de Varginha
 
 
 
 
TAXA DE DESEMPREGO RECUA EM MG
 
A taxa de desocupação de Minas Gerais encerrou o último trimestre do ano passado em 9,4%, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado do Estado foi inferior ao registrado no País, que chegou a 11,1%, e representa queda de 1,3 ponto percentual em relação ao trimestre anterior e de 3 pontos percentuais sobre a mesma época de 2020.
 
FONTE: Sindijori-MG / Diário do Comércio - Belo Horizonte
 
 
 
 
FEIRA DO CERRADO 2022 TEM INÍCIO NESTA TERÇA-FEIRA (1º)
 
A Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé) inicia, neste dia 1º de março, a edição 2022 da Feira do Cerrado, que assim como no ano passado será realizada em formato 100% digital por conta da pandemia. O evento é mais uma oportunidade para o cafeicultor realizar grandes negócios, já que a Cooxupé se preparou adquirindo produtos para estoque e entrega imediata.
Serão 85 empresas participantes e um portfólio de cerca de 9 mil itens disponíveis para venda, em condições comerciais atrativas e exclusivas.
Para acessar a Feira do Cerrado, o cooperado deve baixar o aplicativo da Cooxupé, disponível para Android e IOS gratuitamente, ou buscar atendimento em seus respectivos núcleos de atendimento da cooperativa.
O produtor poderá efetuar a sua compra por meio da operação Barter, cujo café vira “moeda” de pagamento.
 
FONTE: Phábrica - Assessoria de Comunicação
 
 
 
 
CAFÉ DA CHAPADA DE MINAS É EXPORTADO PELA PRIMEIRA VEZ PARA A AUSTRÁLIA
 
Um contêiner com 640 sacas de 30kg de café especial produzido na região da Chapada de Minas desembarcou no dia 24 de fevereiro no porto da Austrália. A carga, avaliada em R$ 400 mil, foi produzida nas cidades de Capelinha, José Gonçalves de Minas e Água Boa. O resultado é fruto do trabalho realizado em parceria com o Sebrae Minas para melhorar o posicionamento do setor no mercado interno e externo. Em 2020 foi lançada a estratégia “Café da Região da Chapada de Minas”, que contribuiu para agregar valor ao reforçar a identidade e a origem da região.
“Antes, os produtores não conseguiam saber qual o destino ou o preço pago pelo café. Agora, com essa negociação direta, eles têm mais controle e autonomia, além disso, compradores passam a ter acesso às informações sobre a origem do produto, como foi produzido e quem produziu”, afirma o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Minas, Roberto Simões.
Para garantir a origem do café da Chapada de Minas foi necessário demarcar áreas reconhecidas pela qualidade dos produtos ali cultivados, além de adotar medidas para garantir a rastreabilidade dos grãos. “Informações sobre a procedência do produto e em quais condições ele foi produzido é uma exigência do próprio consumidor. Para se ter uma ideia, após a criação da marca coletiva, o produto foi reconhecido no mercado e teve uma valorização de quase 15% do preço do café”, explica Simões.
O próximo passo dos produtores para a expansão dos negócios é a busca pela origem controlada, que garante ao mercado que o café foi produzido na região com característica específica e por isso não pode ser encontrado em nenhum outro lugar, tornando o produto único.
 
FONTE: Assessoria de Imprensa Sebrae Minas
 
 
 
 
PROJETO APROVADO PELA CÂMARA INCENTIVA INSERÇÃO DE PESSOAS EM SITUAÇÃO DE RUA NO MERCADO DE TRABALHO
 
Aprovado pela Câmara de Poços em segunda discussão, no último dia 22 de fevereiro, o Projeto de Lei n. 90/2021 altera dispositivos do Programa Avança Poços, incluindo as pessoas em situação de rua entre os grupos sociais com dificuldades de inserção no mercado de trabalho para fins de avaliação de propostas das empresas que pretendem se instalar no município. A matéria, de autoria dos vereadores Luzia Martins (PDT) e Douglas Dofu (DEM), segue agora sanção para do prefeito.
De acordo com a legislação que criou o Avança Poços, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SEDET), após análise da documentação da empresa interessada nos benefícios concedidos pela Prefeitura, fará avaliação e pontuará a proposta com base em vários critérios. Um deles é a disponibilização de empregos gerados usando a mão de obra do município, especialmente os que incluírem grupos sociais com dificuldades de inserção no mercado de trabalho, como as pessoas maiores de 40 anos, pretendentes de vagas sem experiência anterior, deficientes, mulheres e, agora, as pessoas em situação de rua.
O Projeto de Lei aprovado pelos vereadores está disponível para consulta no Portal da Câmara, em Proposições.
 
FONTE: Assessoria de Imprensa da Câmara de Poços de Caldas
Link
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp