22/02/2022 às 14h51min - Atualizada em 22/02/2022 às 14h51min

Projeto garante exame auditivo e visual para estudantes com dificuldades de aprendizagem

FONTE E FOTO: Assessoria de Imprensa da Câmara de Poços de Caldas
Um Projeto de Lei, aprovado pela Câmara de Poços, torna obrigatório o exame de acuidade auditiva e visual para alunos da rede pública que apresentarem sinais de anomalias detectadas através do desempenho de aprendizagem e outros critérios pedagógicos. A proposta, de autoria da vereadora Regina Cioffi (PP), aguarda sanção do chefe do Executivo.
 
A Lei Complementar n. 141/2012, que institui o Código de Vigilância à Saúde do Município, passa, agora, a vigorar com a inclusão de novos dispositivos que garantem a medida. De acordo com a matéria aprovada, os profissionais designados para realização dos exames serão aqueles que exercem a função de pedagogo educacional, no entanto, havendo necessidade, os estudantes passarão pelo atendimento nas Unidades Básicas de Saúde para avaliação de um clínico geral ou pediatra.
 
Após consulta com a equipe da Saúde da Família e avaliação clínica, caso exista indicação, os alunos serão encaminhados aos especialistas em Oftalmologia e Fonoaudiologia, dependendo do caso, através do Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo é o diagnóstico precoce de possíveis deficiências que venham trazer prejuízo no processo de ensino-aprendizagem.
 
Para Regina Cioffi, os exames propostos com a nova lei são de extrema importância para o desenvolvimento neurocognitivo e intelectual dos alunos. “Muitas vezes, devido a problemas visuais e auditivos, as crianças não têm acesso às informações de forma clara e efetiva. A baixa acuidade visual e auditiva é um agravo de elevada prevalência e seu diagnóstico precoce é fundamental para se prevenir danos futuros. Uma grande parcela das crianças, por exemplo aos sete anos, apresenta algum tipo de deficiência visual e auditiva que não é detectada por falta de exame específico. Dessa forma, a aprovação desse Projeto de Lei vem contribuir e criar políticas públicas para promoção da saúde”, diz a vereadora.
 
Ainda segundo a parlamentar, o direito à educação fundamenta-se no preceito de que todos devem ter as mesmas possibilidades, desenvolvendo suas capacidades para alcançarem independência e integrarem-se à vida social. “É preciso esse olhar atento para nossas crianças como forma de prevenir problemas de saúde no futuro, fazendo com que tenham boa qualidade de vida”, finaliza.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp