02/02/2022 às 15h48min - Atualizada em 02/02/2022 às 15h48min

+ DO TURISMO - 02/02

m
43% das pessoas estão poupando para viajar no primeiro semestre

 
Estudo disponível na Plataforma Gente aborda as preferências dos brasileiros em relação às viagens nacionais e internacionais
 
Praia ou serra. No verão ou no inverno. Independentemente do destino e mesmo diante do cenário econômico atual, as pessoas estão dispostas a investir em viagem. Isso sem falar nas viagens conhecidas como bleisure travel, um termo criado para quem une negócios e lazer, onde 34% dos entrevistados pretendem ficar mais tempo no destino para aproveitar as experiências locais. Esse número é ainda mais forte entre os que pretendem viajar para fora do país (42%). Ao menos é o que mostra o estudo “Turismo pós-pandemia: o que esperar para o setor”, de autoria da Globo e disponível na Plataforma Gente.
Desde o ano passado, 43% dos entrevistados estão poupando para viajarem neste primeiro semestre de 2022. Para 83%, o lazer é a principal causa da viagem e a maioria pretende ir com a família (39%). O destino (51%) também é um motivador para os entrevistados e 30% preferem praia, 26% lugares com mix entre cidade e natureza e 23%, grandes cidades. Nas viagens nacionais, os destinos mais citados são: São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro e Santa Catarina. Já nas viagens internacionais, as Américas do Sul, Norte e Central, além da Europa Ocidental estão entre as regiões mais desejadas.
Para ler a pesquisa completa, acesse aqui.
 
FONTE: InPress Porter Novelli - FOTO: Reprodução Google
 
 
 
Ministério do Turismo lança Programa Turismo Seguro

Desenvolver ações e políticas públicas para ampliar a sensação de segurança dos turistas no país. Este é o objetivo do “Programa Turismo Seguro”, lançado nesta terça-feira (01/02) pelo Ministério do Turismo e pela Embratur, durante a 1ª reunião do Fórum de Segurança Turística, em Brasília (DF). A iniciativa, pioneira no país, contempla 59 ações divididas em sete eixos de atuação que envolvem a segurança pública, a prevenção à exploração sexual de crianças e adolescentes no turismo, as relações de consumo no turismo, o transporte de turistas, a defesa civil, a vigilância sanitária e a comunicação proativa.
Participando diretamente de Recife (PE), o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, destacou que a proposta é um marco para o setor do país, visto a necessidade de se transmitir informações fidedignas sobre o tema. “Estamos concretizando e vamos tirar do papel propostas que devem aprimorar a segurança turística no nosso país. Uma demanda antiga que só agora estamos dando um espaço adequado e que, sem dúvida, refletirá no crescimento do nosso setor”, disse.
Para a elaboração do “Programa Turismo Seguro”, o Ministério do Turismo e a Embratur se reuniram durante o ano de 2021 no intuito de desenvolver propostas que atendessem com eficiência à população. Ao final destas reuniões foram criadas 59 ações, entre elas o mapeamento de delegacias especializadas, a criação de um diagnóstico de segurança turística e de um painel de monitoramento de adesões ao Código de Conduta desenvolvido pela Pasta, além da definição de estratégias sobre segurança e turismo.
A diretora do Departamento de Inteligência Mercadológica e Competitiva do Ministério do Turismo, Nicole Facuri, ressaltou que o Programa foi construído a partir do entendimento do potencial que a atividade turística tem para a geração de emprego e desenvolvimento no Brasil. “A gente pretende disponibilizar um documento orientador acerca das ações do Ministério do Turismo direcionadas à segurança turística. Trata-se de um esforço de planejamento integrado para que as políticas sejam assertivas, amparados nas melhores práticas do governo federal. É um trabalho muito árduo de articulação para que a gente possa abranger todos esses vieses de segurança que a gente está propondo”, pontuou.
Entre as expectativas do Programa está a contribuição para o posicionamento do Brasil como um destino seguro, a sensibilização dos diversos atores que contribuem para a segurança turística, a melhoria das relações de consumo do turismo e a troca de informações entre instituições com gerência sobre defesa civil.

FONTE: Ministério do Turismo - victor.alves@turismo.gov.br

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp