20/01/2022 às 15h46min - Atualizada em 20/01/2022 às 15h46min

Prêmio Os Movimentos das Cidades anuncia os vencedores das dez cidades paulistas

FONTE E FOTO: Assessoria de Imprensa GBR Comunicação
P 
Tecnologia, cultura e meio ambiente foram as principais pautas dos projetos vencedores; na vizinha Águas da Prata, o Brigada do Barranco, grupo de voluntários independentes e apartidários, apresentou a proposta de prevenção e combate incêndios florestais
 
A agência Virtù anunciou nesta terça-feira (18), os projetos vencedores do Prêmio Os Movimentos das Cidades. Foram 367 inscrições de projetos sociais indicando caminhos para superar os desafios urbanos de dez cidades do interior de São Paulo. Cada projeto selecionado irá receber R$ 10 mil, mais consultoria para desenvolver a ação.
Com apoio do Grupo CCR e criado também em parceria com a organização suprapartidária Centro de Liderança Pública (CLP), o prêmio mobilizou moradores, ONGs e empresas das cidades de Águas da Prata, Avaré, Bragança Paulista, Barueri, Campinas, Itapeva, Louveira, Osasco, Sorocaba e Tatuí para pensar em melhorias locais.
 
Os vencedores foram anunciados no site movimentosdascidades.grupoccr.com.br. No dia 28 de janeiro, esses projetos serão premiados em evento apresentado pelo jornalista Marcelo Tas, na sede da CCR, em São Paulo. Após a premiação, o projeto vencedor de cada cidade receberá dois meses de mentoria com especialistas para auxiliar na implementação da proposta e resultados dos projetos. Para finalizar, os projetos serão apresentados em evento na sede da CCR, em março, também por Marcelo Tas.
 
 
A cidade de Bragança Paulista foi a cidade que teve o maior número de inscritos: 74. Entre as iniciativas, foi selecionada a do morador Edson Meris, com o título Roda de Rima, que busca alcançar jovens que estão em contato com a violência e drogas. O projeto propõe desenvolver a reflexão social por meio da música e conscientizar sobre a importância do respeito aos direitos e deveres em sociedade.
 
Em Avaré, o projeto SoltaVoz, podcast criado por Kaue Dos Santos e Henrique Timoteo, também busca melhorar a cidade por meio da cultura. A ideia é trazer os fenômenos da cidade (artistas, músicos, professores, trabalhadores, influencers, delegados e outros) que possam auxiliar a população, oferecendo desde dicas para arrumar emprego, escolher escolas, ter voto consciente, conhecer artistas locais a, até mesmo, como salvar vidas.
 
Meio ambiente também se fez presente entre os projetos selecionados. Em Águas da Prata, o Brigada do Barranco, grupo de voluntários independentes e apartidários, apresentou a proposta de prevenção e combate incêndios florestais. O intuito é capacitar grupos de jovens e crianças para atuarem como parceiros multiplicadores e, eventualmente, futuros brigadistas de combate aos incêndios florestais, através de atividades preventivas, de conscientização e educação ambiental para a formação de um grupamento especial de Brigada Ambiental Mirim.
 
Em Osasco, o morador José Divino da Silva, incomodado com a quantidade de lixo que o aterro sanitário da cidade recebe, em média 900 toneladas por dia, sugere um portal ou aplicativo que eduque e o cidadão osasquense a separar o lixo de forma consciente e ecológica.
 
Falando em aplicativo, o projeto selecionado da cidade vizinha, Barueri, foi a sugestão do morador Handerrson Bezerra Salvador, com o aplicativo “Onde está meu ônibus?”. A ideia é trazer informações em tempo real dos horários das linhas de ônibus, com apoio da empresa de ônibus, dando a possibilidade de perguntas e denúncias também.
 
Em Campinas, o morador Rodrigo Alves de Godoi venceu com o projeto Reviva Campinas apostando na revitalização de parques, praças e mobilidade de cidade.
 
Em Itapeva, Josoel Borges, Edvan Proença e Silviano Antunes querem criar um projeto que capacite o cidadão que busca emprego voltada exatamente com as necessidades dos empresários é o Focalização Inteligente.
 
A saúde não ficou de fora. Em Louveira, a moradora Larissa Vieira Scomparim venceu ao inscrever o projeto Vacinação em Ação, que propõe realizar palestras para incentivar a participação da população nas campanhas de vacinação.
 
A proposta de Fábio Rogério de Oliveira, na cidade de Sorocaba, é de mostrar a fotografia como processo terapêutico que além de resgatar a autoestima ainda pode promover debates sobre temas do cotidiano é o Fotografia Terapêutica.
 
Já em Tatuí, Roseli Aparecida Tureck de Moraes Colina, Maria Augusta de Abreu Raggio Barbará e Luis Antônio Fernandes Guedes venceram com Cururu, um projeto que dará a oportunidade de levar a manifestação cultural do Cururu à novas gerações, com aulas de improviso, rimas e instrumentos nas escolas. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp