06/01/2022 às 15h19min - Atualizada em 06/01/2022 às 15h19min

Janeiro no Museu do Amanhã

FONTE: Gabriella Lopes - Atômica Lab - FOTO: Albert Andrade
Exposição Fruturos - Tempos Amazônicos
,
Dia da Baía de Guanabara e a nova exposição "Fruturos - Tempos Amazônicos" são temas de destaque; internautas poderão participar das televisitas
 
O mês de janeiro terá dois focos principais no Museu do Amanhã: a nova exposição temporária “Fruturos - Tempos Amazônicos” e o Dia da Baía de Guanabara, estabelecido no dia 18. A partir destes temas, diversas atividades serão promovidas para que o público possa ser estimulado a refletir.
 
Na sexta-feira (18), às 10h30, em referência ao Dia da Baía de Guanabara, a equipe de educação do Museu trará uma discussão sobre a origem da água e sua importância para a vida no planeta, a partir de uma contação de histórias baseada na obra “Livros das Águas: Índios do Xingu”, da editora Instituto Socioambiental.
Para quem deseja aprender mais sobre a Baía de Guanabara e sobre a Amazônia de uma só vez, o Amanhã de Histórias, que acontecerá no dia 22 de janeiro, das 15h30 às 17h, trará a conexão entre os dois temas. Uma contação de histórias no Belvedere, conduzida por Carlos Tukano, liderança indígena de sua etnia, que abordará o mito da Cobra Canoa. De acordo com os povos indígenas Desana e Tukano, a Cobra Canoa é um grande ser mítico/embarcação que carrega artefatos transformados em humanos, para relatar a concepção da vida da humanidade. Esta viagem começa no Lago do Leite, localizado no que se conhece hoje como Baía de Guanabara, e atravessa o litoral brasileiro até adentrar o terreno pelo Rio Negro.

Em 28 de janeiro, às 11h, educadores apresentarão a nova exposição “Fruturos - Tempos Amazônicos” no perfil do Museu do Amanhã no Tiktok. Para aqueles que buscam por atividades presenciais relacionadas à mostra, é possível realizar a visita mediada. Outras opções na programação são o Clube da Horta e a oficina performática.
 
TELEVISITAS - As televisitas são virtuais e fazem parte do Programa de Educação do Museu do Amanhã, sendo uma nova modalidade de mediação. Esta categoria proporciona o diálogo junto às narrativas das exposições do Museu com o objetivo de estabelecer um processo de troca e vivência experimental dos eixos curatoriais, de modo inteiramente virtual, a partir da mediação. Nesta modalidade, os educadores, diretamente do Museu, apresentam a exposição para grupos conectados via sala de conferência online.
Em janeiro, as televisitas vão ocorrer de terça a sexta, às 10h30 - com duração de 1h30 -, por meio da plataforma Google Meet, em português ou libras. Além disso, o público poderá escolher vivenciar virtualmente a exposição principal ou a nova exposição temporária “Fruturos: tempos Amazônicos”. Os grupos interessados - de até 100 pessoas - devem realizar agendamento previamente no site, através do formulário disponível na aba do Educativo.
 

 
 


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp