11/11/2021 às 16h33min - Atualizada em 11/11/2021 às 16h33min

Projeto da UNIFAL-MG aprovado pelo Instituto Alcoa vai promover a ciência no ensino fundamental

FONTE: Diretoria de Comunicação Social da UNIFAL - FOTOS: Reprodução/Canva Pro
*
"Festival Mais Ciência, Por Favor!" prevê competições científicas, ao longo de 2022, em escolas de Poços de Caldas, Andradas, Divinolândia e Caldas

A UNIFAL-MG, com apoio do Instituto Alcoa, vai desenvolver um projeto de educação científica com turmas de ensino fundamental II de Poços de Caldas, Andradas, Divinolândia e Caldas, em 2022. O "Festival Mais Ciência, Por Favor!" vai apoiar as escolas públicas selecionadas para que alunos se aproximem da ciência e construam experimentos para apresentação ao final do ano. O projeto visa compartilhar informações sobre método científico e conta com o apoio do campus de Poços de Caldas e da Pró-Reitoria de Extensão da UNIFAL-MG. 
As escolas selecionadas foram E. M. Wilson Hedy Molinari, E.M. Prof. Júlio Bonazzi, E.M. Maria Ovídia Junqueira e E.M. Prof. Antônio Sérgio Teixeira, em Poços de Caldas; E. E. Souza Novais e E. E. Vicente Landi Júnior, em Caldas; EMEB Prof. Germinal Ferreira e E.M. Euclides Cunha, em Divinolândia; e E.E. Professor Edmundo Vieira e E.E Coronel João Mosconi, em Andradas. 
 
Cada uma das escolas selecionadas terá uma equipe de 7 alunos, seguindo critérios de equidade de gênero, sob coordenação de um professor da mesma instituição. "Será aprendido, por exemplo, como testar uma hipótese para gerar conhecimento. No fim, haverá um concurso composto por pesquisadores, para definir a melhor apresentação, e serão escolhidas as 3 melhores escolas. A equipe número 1 receberá um tablet, para cada integrante, como prêmio", explicou o coordenador do projeto, Prof. Fernando Gardim, do Instituto de Ciência e Tecnologia, do campus Poços de Caldas da UNIFAL-MG. 
 
Durante todo o ano o projeto vai construir a base e confecção de experimentos de ciência de forma lúdica. Para a apresentação, a UNIFAL-MG estará aberta para o público local interagir com os experimentos, assistir às demonstrações e ter um contato mais próximo com o que é produzido na Universidade. "Precisamos ensinar o que é ciência, e como a tratamos e lidamos com ela. Sem isso, não podemos esperar que as pessoas respondam adequadamente aos fatos. Esse festival vem para isto: mostrar o que é ciência e quão encantadora ela é", salientou Fernando Gardim. 
 
O início das atividades está previsto para fevereiro de 2022, após chamada pública, em dezembro, para os discentes da UNIFAL-MG participarem do Festival. "A ideia é que funcione como um projeto a parte nas escolas, ocorrendo de uma a duas vezes por semana. Nós daremos um treinamento para os professores sobre educação e metodologia científica e acompanharemos as atividades. A ideia é fazer uma pesquisa sobre o assunto (revisão bibliográfica). Depois, a equipe de cada escola discute o problema (hipótese), faz uma predição do que pode ocorrer, e então vê se a predição está de acordo com o experimento", explicou. No total, o projeto contará com a atuação dos coordenadores, Prof. Fernando Gardim e Profa. Ana Cláudia Mendes de Seixas, do Instituto de Ciência e Tecnologia, como coordenadora adjunta, professores, servidores técnico-administrativos e discentes. 
 
"Para completar, gostaria de citar duas máximas que ajudam a entender este Festival: 'Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção' (Paulo Freire) e 'O brincar é a mais alta forma de pesquisa' (Albert Einstein). É dever da Universidade transferir informações de qualidade e com respaldo científico para a sociedade", finalizou o Prof. Fernando Gardim. 
 

 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp