23/09/2021 às 15h20min - Atualizada em 23/09/2021 às 15h20min

Minas Gerais poderá reconhecer mais uma região produtora do Queijo Minas Artesanal

FONTE E FOTO: Assessoria de Comunicação - Emater-MG

Caracterização da região de Entre Serras da Piedade ao Caraça é feita pela Emater
 
Minas Gerais poderá ganhar, em breve, mais uma região com o reconhecimento de produtora do Queijo Minas Artesanal. Um trabalho de caracterização da área denominada Entre Serras da Piedade ao Caraça está em fase avançada e abrange os municípios de Catas Altas, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Rio Piracicaba, Bom Jesus do Amparo e Caeté, região Central do estado. O levantamento está sendo feito há cerca de um ano pela Emater-MG.
A caracterização de uma região produtora de Queijo Minas Artesanal é o primeiro passo para o reconhecimento oficial. Atualmente, Minas Gerais conta com oito regiões já reconhecidas como produtoras deste tipo de queijo: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serras da Ibitipoca, Serro e Triângulo Mineiro.

O reconhecimento de uma região produtora é respaldado por estudos do processo de fabricação. Entre as características analisadas de cada região também estão a história, economia, cultura, clima e outros itens.
"Na região de Entre Serras da Piedade ao Caraça já foi aplicado um questionário para levantamento de dados e conhecimento da realidade dos produtores. Atualmente, está sendo feita a caracterização do meio físico", explica a coordenadora estadual de Queijo Minas Artesanal da Emater-MG, Maria Edinice Rodrigues.

Somente os queijos produzidos nas regiões caracterizadas são autorizados a usarem a nomenclatura na embalagem. Por exemplo, só pode explorar no rótulo o nome Queijo da Canastra, Queijo do Serro ou Queijo de Araxá quem está dentro dessas microrregiões.
O nome da região produtora é pelo fato de abranger municípios localizados entre a Serra da Piedade e a Serra do Caraça. Após a conclusão dos estudos de caracterização, o relatório segue para análise da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). Caso aprovado, o reconhecimento é oficializado com a publicação de uma portaria no Diário Oficial do Estado.
 
Segundo a coordenadora regional de Bem-Estar Social da Emater, Sheilla Forza, a produção mensal de Queijo Minas Artesanal de Entre Serras da Piedade ao Caraça está estimada em 1,4 mil queijos. Ela ressalta vários benefícios que a caracterização poderá trazer para os produtores. "Agregação de valor ao produto, melhoria da qualidade dos queijos na região, diversidade gastronômica, segurança alimentar, aumento da renda familiar e ocupação da mão de obra, entre outros", afirma.
O trabalho de caracterização da região de Entre Serras da Piedade ao Caraça é uma parceria da Emater-MG com prefeituras municipais, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Senac, Santuário do Caraça e Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA).

OFICINA COM PRODUTORES - Uma das etapas do trabalho de caracterização da região de Entre Serras da Piedade ao Caraça será uma oficina para os produtores promovida pela Emater-MG, no dia 28 de setembro, em Barão de Cocais. A expectativa é a participação de 16 produtores de Queijo Minas Artesanal. "Nesta oficina, vamos definir as características sensoriais do queijo da região, como a textura, consistência, tamanho, peso, sabor e odor", explica Maria Edinice.

CARACTERÍSTICAS DO QUEIJO MINAS ARTESANAL - O Queijo Minas Artesanal é uma iguaria herdada dos colonizadores portugueses e foi reconhecido pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro. Ele precisa ser feito a partir do leite integral de vaca fresco e cru, retirado e beneficiado na propriedade de origem. O queijo deve apresentar consistência firme, cor e sabor próprios, massa uniforme, isenta de corantes e conservantes.
Na fabricação, além do sal e do coalho, é utilizado o pingo: um fermento natural extraído do soro da produção de queijo do dia anterior. A estimativa é de que o Queijo Minas Artesanal seja produzido por 9 mil pequenos produtores do estado.

CONCURSO ESTADUAL - O Governo de Minas Gerais, por meio da Emater-MG, está promovendo o 13º Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal (QMA). O julgamento será no dia 6 de outubro, em Belo Horizonte.
Podem participar do concurso os produtores de Queijo Minas Artesanal das tradicionais microrregiões produtoras e também aqueles que estão fora dessas áreas, conforme a Lei 19.492/2011. Todos os participantes devem ter a queijaria legalizada junto a um serviço de inspeção.
O anúncio dos vencedores será feito durante um evento online, no dia 14 de outubro, transmitido pelo canal da Emater-MG no YouTube.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp