21/09/2021 às 16h52min - Atualizada em 21/09/2021 às 16h52min

Produtor de queijo vence o 7º Prêmio Emater-MG de Criatividade Rural com "invenção simples"

FONTE E FOTOS: Assessoria de Comunicação - Emater-MG
Equipe da EMATER-MG com Adalton Soares da Costa (dir.)
,
 
Ele inventou um coletor de pingo, fermento natural usado na produção de Queijo Minas Artesanal
 
Um produtor de queijo da região da Canastra foi o vencedor do 7º Prêmio Emater-MG de Criatividade Rural. Adalton Soares da Costa mora no município de São Roque de Minas e inventou um coletor de pingo, que é um fermento natural extraído do soro da produção de queijo do dia anterior. O uso do pingo é uma das características do famoso Queijo Minas Artesanal
O resultado do 7º Prêmio Emater-MG de Criatividade Rural foi divulgado nesta segunda-feira (20/9), em solenidade virtual, transmitida pela Emater-MG no YouTube. O objetivo do concurso é incentivar e divulgar as inovações tecnológicas que gerem melhorias em sistemas de produção, de processamento e de comercialização de produtos agropecuários. 
Foram 63 projetos inscritos e analisados com base na criatividade, sustentabilidade e exequibilidade, que é a facilidade de ser colocado em prática.
Adalton tem um rebanho de 50 cabeças de gado leiteiro e uma produção mensal de 600 quilos de queijo. A maior parte dos clientes está em Minas Gerais e em São Paulo. 
 
 PROJETO VENCEDOR - O produtor conta que encerra a produção de queijo no final da tarde, quando começa a dessora para a coleta do pingo, que será usado na fabricação do dia seguinte. Porém, ele diz que o melhor pingo é obtido durante a madrugada, por ter maior acidez e concentração bacteriana. O pingo interfere na consistência e no sabor do queijo. 
"A gente tinha que ficar vindo na casinha de queijo durante a madrugada para pegar o melhor pingo e isso era inviável, principalmente durante o frio. Então a gente criou uma maneira de coletar o pingo de madrugada, sem precisar que alguém vá até a queijaria fazer isso manualmente", diz o produtor. 

A invenção é muito simples.  Ela consiste em fixar um funil de plástico na borda da bancada onde ficam os queijos e por onde escorre o soro. Na saída do funil, foi acoplada uma mangueira que tem entre 50 cm e 80 cm. Ela é presa, dando uma volta, usando braçadeiras. 
O pingo que escorre nas primeiras horas da dessora cai no funil, circula pela mangueira e é descartado por gravidade em um balde. Já o pingo que interessa ao produtor fica retido, pois ele é o volume final que caiu no funil, e não tem quantidade suficiente para passar por toda a mangueira e ser descartado no balde. O produtor utiliza cerca de 200 ml de pingo por dia para produzir os queijos.
 
"Utilizamos o coletor há três anos e já ganhamos concursos nacionais de queijo, produzindo com esta técnica. É um coletor muito simples e barato, que pode ser usado por todos os produtores de Queijo Minas Artesanal", afirma Adalton.
Para fabricar o coletor, basta adquirir um funil de plástico, a mangueira e duas braçadeiras. Segundo o técnico da Emater-MG que atende o produtor, João Francisco Carvalheiro, o custo máximo é de R$ 15,00.  "Ajuda também no bem-estar da família e do funcionário. No final da tarde ele vai até a queijaria, vira o queijo para a dessora, coloca o coletor, e pode ir para casa ficar com a família", diz. 

PREMIAÇÃO - O segundo lugar do 7º Prêmio Emater-MG de Criatividade Rural ficou com o projeto de um terreiro de café mecanizado ecológico, desenvolvido pelo produtor Anderson Domingos da Silva, do município de Divino, região cafeeira conhecida como Matas de Minas, na Zona da Mata. 
O produtor Manoel Sander de Araújo, do município de Jaíba, no Norte de Minas, obteve o terceiro lugar do Prêmio. Ele desenvolveu um marcador de covas ajustável para culturas diversas, como pimenta, mandioca, melancia, berinjela, abóbora e quiabo. 
Os produtores classificados nos três primeiros lugares ganharam um smartphone e um tablet. Já os profissionais da Emater-MG que prestam assistência aos campeões receberam um smartphone
A comissão julgadora dos projetos foi formada por profissionais da Embrapa, Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e da própria Emater-MG.


Participaram ao vivo da solenidade de premiação os produtores responsáveis pelos três projetos vencedores, o presidente da Emater-MG, Otávio Maia, e o superintendente estadual do Banco do Nordeste, Wesley Maciel. O banco é o patrocinador do concurso.
O governador Romeu Zema enviou um vídeo parabenizando os produtores e destacou a importância do concurso. "Parabéns à Emater pela iniciativa. Que ela venha trazer benefícios para todos os produtores rurais do nosso estado", disse. 
 





 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp