30/07/2021 às 14h13min - Atualizada em 30/07/2021 às 14h13min

NOTAS RÁPIDAS - 30/07

DIA DO ORGASMO: PESQUISA REVELA QUE 55,6% DAS MULHERES NÃO SABEM IDENTIFICAR UM ORGASMO
 
Em 1999, uma sex shop britânica queria mostrar a importância de ter uma vida sexual mais satisfatória para alcançar uma vida plena e feliz. Para isso, criou o Dia do Orgasmo. A data escolhida para debater sobre o prazer sexual e os seus benefícios foi 31 de julho. Apesar de todos os avanços e recursos disponíveis no mercado para ajudar a alcançar o orgasmo, muitas mulheres nunca o experimentaram. De acordo com uma pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), 55,6% das mulheres não sabem identificar um orgasmo “Algumas mulheres crescem achando que esse é um assunto tabu, algo vulgar e promiscuo, e que elas devem apenas satisfazer os homens, pois cresceram sem referências, não tiveram com quem conversar sobre o assunto e acham que é errado explorar o próprio corpo”, explica Carla Geane, terapeuta sexual da INTT. Outro ponto importante que contribui para que o debate sobre o prazer feminino fosse deixado de lado por muito tempo foi o próprio mercado erótico. Até então ele focava apenas em oferecer produtos voltados ao público masculino, como revistas com modelos nuas, filmes eróticos e até mesmo medicamentos voltados à disfunção erétil. Graças ao empenho de marcas do setor erótico em comercializar produtos voltados ao prazer feminino é que essa situação está se revertendo. Hoje, é possível encontrar vibradores com diversas funções, sugadores de clitóris e géis com sabores e comestíveis. Com a popularização desses itens em filmes nacionais e redes sociais, as mulheres também não sentem mais um certo desconforto na hora de assumirem que usam um sex-toy, e também não ficam mais constrangidas ao irem a um sex-shop.
FONTE: Renato Lopes Aranha: imprensa@noticiaexpressa.com.br
 
 
 
 
EDITORA É PROCESSADA POR CHAMAR FUNCIONÁRIA DE “VOVÓ” EM REPORTAGEM SOBRE CARRO
 
Uma editora britânica foi processada por uma ex-funcionária, que não gostou de ser retratada como “uma vovó” em uma reportagem. O texto em questão avaliava o Renault Kadjar, automóvel do mercado europeu similar ao Captur, modelo da mesma marca que circula no Brasil.
Anne Dopson, ex-diretora de vendas da Stag Publications, disse a um tribunal de trabalho que ficou chateada quando o carro foi descrito na reportagem em questão como “confortável para uma vovó”. Ela tinha 62 anos na época. Dopson reclamou que, embora ela tivesse três netos, a referência tinha sido uma piada com a idade dela e “causou risos no escritório”. Ela renunciou ao cargo com salário de £ 50 mil por ano e moveu um processo judicial contra o editor.
O juiz avaliou que a expressão usada pela reportagem equivale a tratamento “prejudicial” e “menos favorável” de Dopson, porque chamou a atenção para sua idade. A sentença, no entanto, não atendeu à queixa da ex-diretora de vendas. Suas alegações de demissão sem justa causa e discriminação por idade foram rejeitadas, pois, segundo o juiz, o comentário foi considerado um incidente “isolado”. A decisão afirma ainda que Dopson ultrapassou o limite de tempo para reclamações. 
 
FONTE: MediaTalks By J&BCia
 
 
 
 
O FUNK GANHOU AS OLIMPÍADAS! APÓS VITÓRIA DE REBECA ANDRADE COM "BAILE DE FAVELA", MÚSICA CRESCE 331% NA DEEZER
 
O brasileiro finalmente teve um dia de paz - e vitórias também! Rebeca Andrade, mulher negra, periférica e ginasta olímpica, ganhou medalha de prata nas Olimpíadas de Tóquio 2020, se tornando a segunda melhor ginasta do mundo. E como ela mesmo disse, essa vitória é de todos os brasileiros e também do funk. O gênero musical, que muitas vezes é marginalizado, estava presente na apresentação que rendeu prata para Rebeca, sendo representada por "Baile de Favela", de João Israel Simeão, o MC João. A música que bombou em 2015, ano de seu lançamento, teve um crescimento de 331% na Deezer após a apresentação da ginasta.
A cidade que mais ouviu a música até agora na Deezer foi São Paulo, seguida de Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte e Fortaleza. Após o Brasil, a França foi o país que mais deu streams para o hit, seguido por Estados Unidos, Portugal e Suíça. A faixa etária que mais distribui streams para "Baile de Favela" é a de 26 a 35 anos (36%), 18 a 25 anos (35%) e logo depois a de 36 a 45 anos (19%).
 
FONTE: Victor Rocha - victor@agenciaecomunica.com.br
 
 
 
 
NEUROCIENTISTA DA UFMG EXPLICA COMO O INSTAGRAM ATIVA NÚCLEO NEURAL DO PRAZER E DA SATISFAÇÃO
 
Com mais de 500 milhões de downloads no mundo, o Instagram é um dos aplicativos mais baixados atualmente. A plataforma possibilita diversos usos nos campos do trabalho e do lazer. Além de atender interesses comerciais, é uma ferramenta para conhecer pessoas, seja para amizade ou relacionamentos amorosos. Em entrevista à TV UFMG, o professor Bruno Souza, do Núcleo de Neurociências da UFMG, explica por que o ser humano precisa dessas interações.
O neurocientista diz que formas de carinho e contato são interpretadas pelo cérebro como recompensa, por isso são valorizadas e almejadas pelas pessoas que frequentam o universo das redes sociais. De acordo com ele, há um pequeno núcleo neural, o Accumbens, que é ativado por experiências prazerosas que estimulam o indivíduo a querer repeti-las. "Isso acontece, por exemplo, quando uma pessoa come uma comida gostosa e também com as mídias sociais, que trabalham para fazer a pessoa continuar frequentando as redes", analisa o professor. 
 
FONTE: Luiza Franca Tomaz de Aquino - luhfranca@cedecom.ufmg.br
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp