11/06/2021 às 15h17min - Atualizada em 11/06/2021 às 15h17min

Cia Mundano apresenta leitura dramatizada no 1º Festival de Artes Cênicas de Poços

FONTE e FOTO: Cia Mundano

O festival acontece gratuitamente, de 12 a 19 de junho, pelo canal no YouTube, sem necessidade de reservas ou ingressos. A apresentação da Cia Mundano é dia 14 de junho, às 20h
 
A companhia de teatro Mundano vai apresentar uma leitura dramatizada no 1º Festival de Artes Cênicas da cidade. O festival acontece online, por causa da pandemia, e tem artistas convidados com espetáculos para aquecer a programação de junho, além da competição de cenas curtas que premiará com o troféu O Ator. A organização do festival é de Felipe Campos e recebeu recursos da lei Aldir Blanc. A Cia Mundano foi convidada a apresentar algo que é pioneiro na arte na cidade: a leitura dramatizada.
Trata-se de um artifício que facilita a relação do leitor, aluno e expectador, com o texto literário e seu entendimento. É uma leitura em voz alta de texto teatral para um público. Uma prática cênica comum na área do teatro que exige interpretação, especialmente pelo uso da voz, explica Lizzy Cantagessi, a diretora da Cia.
“A história se passa em 1845 e decidimos manter nessa leitura a nossa marca, que são os figurinos de época, pois a leitura dramatizada pode ou não ter todos os elementos teatrais como cenário, iluminação, trilha sonora e figurino”, completa a atriz Leandra Faria.
 
O festival veio como um alento aos artistas da cidade que tiveram a oportunidade de se reunir novamente para as gravações. “Estarmos juntos no palco outra vez, depois de tanto tempo, foi maravilhoso. Gravamos com os atores em marcação distanciada, mesmo os que moram na mesma casa, fizemos a testagem do elenco e ainda usamos máscaras nos bastidores. Foi diferente, seguro e gratificante poder fazer o que amamos diante desse cenário tão triste que temos todos os dias, perdendo pessoas e artistas queridos”, conta Beatriz Faria.
 
O texto do ácido Martins Pena (1815 - 1848) explora as desavenças da vida familiar em uma casa onde reina o caos. “O texto é muito irônico e faz críticas à sociedade carioca do século passado, mas que na verdade seguem tão atuais como nunca. O humor, também muito presente na obra, promete boas risadas”, completa Igor Dionizio, que tem o papel do filho com gagueira e entrega uma interpretação divina.
 
No elenco estão Beatriz Faria (que assina também a maquiagem e cabelo), Igor Dionizio, Leandra Faria (assistente de figurino), Luciano Pedrilio, Pedro Ernesto, Priscila Lizzy Cantagessi (que faz a direção e é responsável pelo figurino) e Wellington Rafael. Filmagem e captação de André Luiz e Matheus Soares, responsável pela edição e direção geral.
A Cia agradece ao Estúdio X, Tamara Matos, Jóias La Duchess, Leonisia Faria, Juliane Gaspar e acervo da Cia Monteiros e Lobatos.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp