31/05/2021 às 17h03min - Atualizada em 31/05/2021 às 17h03min

Alcides Mosconi demonstra nova técnica cirúrgica para implante de prótese peniana

FONTE E FOTOS: Marco Antônio da Silva

Urologista poços-caldense é um dos poucos médicos com experiência reconhecida em tratamento de disfunção erétil no Brasil
 
Os tipos de casos, eficácia e novas técnicas cirúrgicas das próteses penianas foram temas de workshop realizado pelo urologista poços-caldense, Alcides Mosconi Neto, no último sábado (29), em São Paulo. Além do módulo de educação continuada sobre terapias de disfunção erétil, o grupo com cerca de 20 médicos residentes teve acesso, na prática, aos métodos cirúrgicos mais recentes, entre eles o Clinical EYe, técnica que permite ao especialista realizar todo o procedimento por meio de óculos/câmera.
Alcides Mosconi é um dos poucos médicos com experiência reconhecida em tratamento de disfunção erétil no Brasil. É dele a primeira experiência, em 2013, que revelou o nível de satisfação dos homens e companheiras, após a colocação de prótese peniana. Agora, o urologista poços-caldense está no seleto grupo de especialistas que utiliza a nova técnica Clinical EYe (similar ao Google Glass) para realização de implante de prótese peniana inflável.
Participou junto com Alcides Mosconi do procedimento, o também especialista, Adriano Fregonezi, integrante do núcleo de pesquisadores da Unicamp/SP. A cirurgia foi realizada com sucesso no Hospital Brigadeiro, entre 8h e meio-dia do sábado. Os médicos residentes acompanharam tudo, simultaneamente, por um telão instalado no auditório do Centro de Referência do Homem, dentro da própria instituição de saúde da capital paulista. Todos os participantes do evento já haviam sido vacinados e, mesmo assim, foram respeitados os protocolos contra a Covid-19.
 
Antes, na quinta-feira (27), das semana passada, o mesmo grupo de médicos residentes participou de ‘live’ sobre ‘Educação Continuada’, com palestras dos médicos Alcides Mosconi, Adriano Fregonezi, Cláudio Murta (USP- Hospital Brigadeiro/SP) e Joaquim Francisco de Almeida Claro (Hospital das Clínicas - USP e Hospital Brigadeiro).  O programa do evento aconteceu por meio do aplicativo Zoom.
 
Em breve avaliação, Alcides Mosconi considerou a experiência, com a utilização do novo equipamento, muito proveitosa para os médicos mais experientes, também para os jovens presentes ao evento e para aqueles profissionais que acompanharam as atividades pela internet. “Foram muitas as manifestações de apoio e os cumprimentos pela iniciativa, vindos de várias parte do país”, revelou.
O urologista explica que a prótese inflável, utilizada no procedimento cirúrgico, traz vantagens fisiológicas ao paciente, se comparada aos outros dois tipos, com hastes maleável ou semirrígida e articulável. Segundo o especialista, o implante peniano inflável ainda é pouco utilizado no país e, “se considerarmos a utilização da nova técnica cirúrgica Clinical EYe, é mais raro ainda”, calculou.
No caso específico do sul de Minas, Alcides Mosconi entende que a realidade de casos é a mesma. Segundo o urologista, não se tem conhecimento da realização de cirurgias para implantes de próteses penianas infláveis por profissionais médicos na região. “Esse tipo de procedimento ainda não é disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”, respondeu.
  
INDICAÇÃO - Alcides Mosconi diz que a literatura médica indica o implante de prótese peniana, como opção para homens com disfunção erétil grave. Porém, ressalta que essa orientação deve ser dada pelo profissional de saúde, após acompanhamento caso a caso. De acordo com ele, só um especialista sabe indicar o tratamentos medicamentosos e avaliar o resultado e depois definir, junto com o paciente, pela colocação da prótese peniana.
 
SUCESSO DA PRÓTESE PENIANA - Em outubro de 2013, Alcides Mosconi Neto coordenou pesquisa no Centro de Referência de Saúde do Homem sobre a vida sexual dos pacientes com disfunção erétil que fizeram implante de prótese peniana. O trabalho inédito repercutiu em todo o Brasil, ganhando destaque também no site do médico Dráuzio Varela.
O levantamento com 99 pacientes, entre 45 e 83 anos de idade, durou dois anos e quatro meses. Os resultados mostraram que a satisfação masculina, antes apenas em 20%, alcançou 72% de aprovação. No caso das companheiras, 82% delas se disseram satisfeitas sexualmente após o procedimento “Percebemos que o implante resultou numa melhor vida para os casais”, declarou à época, o urologista.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp