24/05/2021 às 14h57min - Atualizada em 24/05/2021 às 14h57min

Vacina da UFMG seria mais eficaz contra variantes da Covid

FONTE E FOTOS: Assessoria de Imprensa da ALMG
Ainda em fase de testes, imunizante 100% brasileiro poderia significar soberania nacional no combate à pandemia
 
A possibilidade de fabricação de uma vacina mineira mais eficiente contra a Covid-19 e suas variantes pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em 2022, deixou os deputados da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) esperançosos, durante visita realizada pela Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia na última sexta-feira (21/5).
A deputada Beatriz Cerqueira (PT) e os deputados Bartô (Novo), Coronel Henrique (PSL) e o deputado federal Rogério Correia (PT-MG) foram recebidos no Centro de Tecnologia de Vacinas (CT-Vacinas) da UFMG, onde assistiram apresentação do coordenador do Centro de Pesquisas, Ricardo Tostes Gazzinelli. Eles também tiveram a oportunidade de visitar os laboratórios, onde está em fase de desenvolvimento a SpiNTec, vacina contra a Covid-19 produzida pelos pesquisadores mineiros em parceria com a Fiocruz e o Ministério da Ciência e Tecnologia.
De acordo com o pesquisador, a vacina apresentou resultados muito animadores em animais, por ser muito eficiente em estimular o sistema imunológico, incluindo níveis altos de anticorpos e de resposta de linfócitos T. Ela também seria mais eficiente contra as variantes da Covid-19 que as vacinas atuais, por usar proteína recombinante. “A proteína N não é tão exposta, por isso não é tão sujeita às mutações”, explicou.
 
Pesquisador defende soberania nacional na produção de vacina
 
No entanto, ainda há várias etapas até a produção industrial da vacina. “Agora estamos buscando recursos para produzir o lote piloto de vacinas e fazermos os testes de segurança, para depois submetermos a vacina à Anvisa e, em dezembro deste ano, se tudo der certo, iniciarmos a Fase 1, de testes em humanos”, explicou.
O pesquisador ressaltou, no entanto, que o País anualmente gasta dezenas de bilhões de reais com transferência de tecnologia e é fundamental pensar em investimentos a médio e longo prazo para uma cadeia de produção 100% brasileira, que não dependa de insumos estrangeiros, garantindo a soberania nacional no combate a pandemias e epidemias.


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp