05/11/2020 às 17h25min - Atualizada em 05/11/2020 às 17h25min

A BRONCA DO CRIPA

Marcos Cripa - Jornalista/ mcripa@uol.com.br
ALTO PREÇO A SER PAGO
 
Quando voltarmos a publicar nossa coluna no final de novembro, já teremos conhecimento do nome daquela ou daquele que vai governar a cidade nos próximos quatro anos. Neste momento, se não dá para cravar o vencedor baseando-se apenas nas pesquisas eleitorais, já é possível saber que o grande derrotado é o Partido dos Trabalhadores (PT), que abdicou do direito de indicar nomes para a disputa do executivo. Decidiu permanecer à margem, olhando de longe o desenrolar da eleição como se não tivesse projetos a apresentar. Em época não tão distante o partido chegou a indicar candidatura à prefeitura mesmo sabendo que era apenas para marcar presença e fortalecer a legenda. Agora, nem isso. O cômodo pragmatismo petista rachou o partido internamente e expôs sua fragilidade junto ao eleitorado. Abdicou também de ocupar o espaço da eleição para defender a democracia em momento tão crucial da vida política brasileira, o que poderá causar impactos negativos futuramente. 
 
HAJA PACIÊNCIA
 
A maioria dos candidatos à vereança e ao executivo também vai pagar caro, mas por não saber se comunicar com o eleitorado. Algumas vezes é difícil até entender o que está sendo dito. Raro é o candidato que apresenta propostas efetivas e pontuais de acordo com o cargo pleiteado. O horário eleitoral, não só em Poços de Caldas, é uma várzea na qual tem candidato dizendo-se bom pai, bom marido, bom trabalhador como se o eleitor estivesse procurando marido ou esposa. Não entende o candidato que o eleitor quer votar em propostas que trarão melhorias de vida para toda sociedade e não ficar ouvindo discursos vazios. Apesar das bobagens ditas no horário eleitoral, a democracia é o melhor sistema político. Winston Churcill, ex-premier da Inglaterra, disse certa vez: “A democracia é o pior dos regimes políticos, mas não há nenhum sistema melhor que ela”.
 
MAIS DO MESMO
 
O nível das propostas apresentadas pelos candidatos e candidata ao executivo em Poços está para lá da mesmice, se comparada às eleições passadas. Raramente alguém faz proposta concreta e que contribua para a efetiva melhoria da vida da população. Quando falam do turismo então, chega a ser hilário. Invariavelmente dizem que, primeiramente vão reformar os pontos turísticos, para em seguida, reunir os evolvidos para elaborar propostas para o setor. Essas foram as mesmas falas ouvidas nas últimas seis eleições, o que significa que desde 1996 a cantilena é a mesma. E o que é pior: o eleitor e os representantes do setor embarcam nesse conto de fadas.
 
E A SOLUÇÃO PARA O “MONOTRENGO”?
 
Não li, até o momento, nenhuma proposta efetiva para a questão do Monotrilho, obra que não funciona há décadas e que desde o ano passado caiu no colo da Prefeitura sem qualquer ônus para o antigo concessionário. Se não existe solução adequada para o Monotrilho na sua forma original, que se implante em suas estruturas abandonadas há décadas um Jardim Suspenso. Com a contribuição das Universidades locais, aquele mostrengo com quilômetros de extensão poderia ser transformado no maior Jardim Suspenso do Mundo. Se alguém tem alguma dúvida dessa proposta, caminhe pela avenida João Pinheiro e observe o que a natureza já fez de exuberante em parte da estrutura do “Monotrengo”, mistura de Monotrilho com Monstrengo. No mínimo seria uma solução ecológica e ambientalmente correta que cobriria com flores o concreto. Londres tem um Jardim Suspenso lindíssimo. Copiar o que é bom não tem o menor problema.  
               
ESTRATÉGIA
 
Embora tenhamos dois ex-prefeitos disputando o executivo em Poços, parece que são três. Um dos candidatos invariavelmente cita o nome de outro ex-prefeito que não está na disputa, mas é coordenador da sua campanha. Penso que o objetivo é valorizar a própria candidatura. Em duas semanas saberemos se a estratégia foi correta. Possivelmente, até lá também tenhamos também os resultados das duas impugnações até aqui impostas pela Justiça Eleitoral ao atual e a um ex-prefeito. O clima é de apreensão. Se mantidas as decisões, os dois ficarão fora da eleição mesmo que exista a possibilidade de aparecerem na urna eleitoral.

 
VOTO CONSCIENTE
 
Embora minha visão e expectativa quanto ao resultado da eleição na cidade não sejam das melhores diante das opções apresentadas, é fundamental entendermos que quem for eleito (Executivo e Legislativo) terá sido opção da sociedade; estará eleito com o apoio da população, de todos nós. E mais: ninguém é obrigado a retribuir qualquer favor através do voto. A duras penas conseguimos e estamos defendendo a democracia como valor humano universal. Pense nisso. Um bom e consciente voto nesse 15 de novembro.
 
Obrigado a todos que ligaram ou mandaram mensagens parabenizando pelas informações publicadas na coluna do mês passado, na qual falei sobre a violência contra as crianças e mulheres em Poços de Caldas. Ainda voltarei ao assunto futuramente.        
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Precisa de ajuda?
Atendimento
Precisa de ajuda? Fale conosco pelo Whatsapp